.

.

 

CONGELAMENTO SALARIAL

 

Seu salário é bom? Tem tido reajustes que repõem as perdas decorrentes da inflação? E você sabe que a partir de agora a empresa em que você trabalha ganhou o direito de congelar seu salário?  Dizem que não é um congelamento.  Apenas o montante dos salários de todos os empregados, somando os novos contratados não pode aumentar além do índice da inflação ou do crescimento do PIB, o que for menor.   Um exemplo bem simples: se a empresa tiver que duplicar o número de empregados, e o PIB não crescer, seu salário será reduzido pela metade para o gasto geral não ultrapassar o limite legal determinado.

 

Você acha isso um absurdo?!   Os nossos representantes acham que não, pelo menos quando se trata dos trabalhadores que prestam serviços para o Estado. 

 

 

Domingo, 18 de Abril de 2010 - 14h39
Salário de servidores federais poderá ser congelado por dez anos

O alerta quem faz é o deputado federal Efraim Filho (DEM_PB), que nesta semana recebeu em seu gabinete uma comissão formada por servidores das Universidades Federal da Paraíba e Universidade Federal de Campina Grande, para discutir o PLP 549/2009 que visa congelar os salários por dez anos.

Conforme Efraim Filho (DEM-PB), o projeto de lei complementar PLP-549/2009 está na Câmara dos Deputados e é resultado da aprovação pelo Senado do PLS-611/2007. A ele deverá ser juntado o PLP-01/2007, de autoria do governo Federal. Todos versam sobre o congelamento do gasto com pessoal e encargos dos servidores públicos. O PLP 549/09 acresce dispositivo a Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei 101, de 04/05/2000).

“Esse projeto está a merecer uma atenção especial de todos nós, e desde já antecipo o meu posicionamento contrário a esse crime que está prestes a ser cometido contra o servidor público” declarou Efraim Filho.

O projeto estabelece que nos próximos dez anos o aumento anual do gasto com pessoal e encargos sociais dos servidores públicos não poderá ultrapassar a correção do IPCA acrescida de 2,5% ou da taxa de crescimento do PIB, o que for menor.

“É importante ressaltar que despesas de pessoal incluem, entre outras, as relativas a novas contratações de servidores e as correspondentes a promoções e progressões na carreira. Há ainda outros efeitos para os servidores públicos, como, na prática, restrições à negociação coletiva, a soluções próprias em planos de carreira, a recuperação salarial e a substituição dos terceirizados por servidores concursados’ alertou Efraim Filho.

Ainda segundo Efraim Filho é de se prever impactos graves na gestão das instituições públicas pela camisa de força que se imporá especialmente para a reposição no quadro de pessoal, perda de atratividade da carreira, potencial perda de servidores, conflitos progressivos internos, tudo com efeitos sobre a administração.

A manifestação nacional dos servidores públicos contra o projeto de lei que pode congelar os salários faz 'barulho' em Brasília e envolve Servidores do Judiciário Federal do MUP.

Boa parte dos manifestantes vestem camisas pretas com frases em letras brancas que denunciam o PLP 549/2009 como um projeto que congelará salários e levará ao aumento do desmonte dos serviços públicos.

Servidores de diversos setores do funcionalismo e de muitos estados do país participam. Há servidores da saúde, da Previdência, das universidades, do Judiciário, das escolas técnicas, da cultura e de outros ministérios. Técnicos, docentes e estudantes das Universidades de todo o País.

http://www.portalcorreio.com.br/noticias/matler.asp?newsId=130683

 

Imagine-se nesta situação:

2011: A inflação vai a 10%, e o PIB cresce muito, 5%. 

Sua empresa pode aumentar o gasto com pessoal em 5% (o menor dos índices).

Seu salário, no entanto, não pode ser reajustado em 5%, porque a empresa cresceu um pouco e teve que aumentar em 5% o número de empregados.

O aumento de despesa com os novos empregados é de 5%, então seu salário precisa continuar o mesmo do ano anterior, para não ultrapassar o limite de gastos.

Eu 2012, o PIB cresce 3%, porque, com os salários congelados, os trabalhadores tiveram que consumir bem menos, e o comércio caiu.

Isso não deixou de ter um efeito benéfico para o país:  a redução do consumo fez com que os preços não aumentassem muito, e a inflação ficou em apenas 2%. 

Maravilhoso, não é?!

Agora, a despesa com pessoal poderá aumentar em 2%, porque o parâmetro desta vez é a inflação, o índice menor.

E a boa notícia é que seu salário não será reduzido desta vez, porque a empresa não terá que contratar mais funcionários; pelo contrário, vai mandar muita gente para a rua, porque, com a desaceleração, terá que produzir bem menos do que produziu no ano anterior.

Tudo bem, o único problema é o aumento do desemprego; mas a inflação está sob controle; e isso é o que interessa ao país. 

E você não precisa preocupar muito; pois as suas despesas vão aumentar pouco.  Você terá que contar menos gastos do que no ano passado.

E com certeza a inflação do próximo ano será baixa também.  E você terá uma uma PERDA a acumular-se com as anteriores.

 

É essa política que pretende adotar no serviço público. 

E você espera um serviço público de qualidade, rápido, com pessoas bem qualificadas; não é?!

 

Ver POR QUE O SERVIDOR PÚBLICO É QUE PAGA O PATO

 

Ver mais ECONOMIA E POLÍTICA

 

..