CORAÇÃO

24 de setembro é o Dia Mundial do Coração.

 

Por que o desenho de coração tem essa forma?
Por Admin em Curiosidades. 11-02-2010

Por que o desenho de coração tem essa forma?

O ícone de um coração é amplamente reconhecido em todo mundo, em todos os países e é sempre relacionado com o amor. É tão popular que simplesmente aceitamos como é, até que chega o momento em que vemos uma fotografia de um coração real e então nos damos conta das grandes diferenças que existem entre ambos.

Coração

A origem do ícone é um pouco incerta, mas existem várias teorias. Vamos começar analisando os demais ícones que nos rodeiam. Como tudo aquilo que será reproduzido de maneira massiva, é necessário que seja o mais simples possível. Por exemplo, cada que vemos o ícone "Home" em nosso navegador sabemos a que se refere.

Também podemos comparar com o caso da música, os ícones musicais (♪) são majoritariamente arbitrários, mas com o uso repetido já sabemos o que significa, algo similar acontece com o coração. Mais de que ser um símbolo baseado em fatos reais ou na natureza, é uma invenção para simplificar o quão complicado seria desenhar um coração real ou imaginar o amor de outra maneira.

Uma relação um pouco mais concreta encontramos em um casal de cisnes. Quando parecem estar "se beijando", seus pescoços tomam a forma de um coração e possivelmente o autor tenha baseado sua criação neste fato.

Muitos ainda acreditam que a origem estaria ligado a algo mais pervertido, já que coração lembra amor, que por sua vez lembra sexo, que se parece com o quê? Isso mesmo, acertou quem respondeu... bunda.

Mas a versão mais aceita pelos historiadores é que sua origem deve-se à semelhança com a folha da hera, que na Antiguidade representava o símbolo da imortalidade e do poder. Ainda que Plutarco, na obra sobre o mito de Isis e Osíris no Egito, assevera que o pessegueiro era dedicado a esses deuses, por ter seu fruto, a forma do coração.

Seja qual for a origem, o ícone é um dos poucos reconhecidos por todas as culturas e povos do mundo.

http://www.mdig.com.br/index.php?itemid=10410

 

Essa história começa por volta do século 5 a.C., na Grécia, em uma discussão entre filósofos sobre a localização da alma. Para Platão a alma continha três partes: a primeira ficava na cabeça e estava associada ao intelecto; a segunda situava-se no coração e relacionava-se à raiva, ao medo, ao orgulho e à coragem; a terceira ficava no fígado e intestinos e tinha a ver com a luxúria, a ganância e as paixões em geral. Já para Aristóteles, o coração era a sede da inteligência e das emoções porque era quente e se movia, enquanto o cérebro era frio e imóvel. A primeira imagem transmitindo a idéia de "sede da alma" teria sido desenhada há cerca de 12 mil anos em uma caverna de Oviedo, na Espanha. Lá, há um mamute retratado com um coração pintado em seu centro. O homem que lá habitava estava certo ao considerá-lo como o "centro da vida", local que deveria atingir com sua lança para abatê-lo. O desenho do coração, até chegar ao que é hoje, mudou à medida que se sabia mais sobre suas funções e anatomia.
Fonte: Ramon Moreira Cosenza, neuropsicólogo; "Doenças do Coração: Prevenção e Tratamento", de Celmo Celeno Porto

 

Essa equivocada idéia sobre o coração como centro das emoções aparece abundantemente na Bíblia, como por exemplo, "A boca fala do que está cheio o coração" ou, em outra versão, "do que há em abundância no coração, disso fala a boca".  (Mateus: 12:34).

 

E havia muita razão para pensar assim:

O chamado "aperto no coração", sensação que se tem com determinadas emoções fortes, a aceleração dos batimentos, etc. são coisas que justificavam muito bem em uma época primitiva pensar como o grande Aristóteles.

 

Agora, vejam o verdadeiro formato do coração

 

Embora nenhum dos estudiosos do assunto tenham apresentado essa hipótese, imagino que, talvez, o homem do passado tenha pensado em um coração aberto ao criar o desenho.

 

Ver mais sobre o equívoco do coração

 

Ver mais CURIOSIDADES

 

..

.