ESMALTE DE UNHA

14/02/2010

"Esmaltes são misturas químicas aplicadas a uma superfície. Ao solidificar, elas formam uma camada brilhante. Por isso, muitas civilizações, dos gregos aos celtas, já os usaram como revestimento para brasões e objetos de metal, porcelana e madeira. Apesar dessas aplicações polivalentes, não se pode negar: é nas unhas das mãos e dos pés que o esmalte, literalmente, brilha. Por isso, também sua história está ligada ao cuidado com a unha ao longo dos séculos.

As antigas egípcias já se preocupavam com a estética das mãos em 3500 a.C. Elas usavam nos dedos uma tintura preta de henna. Cores mais fortes eram exclusivas da elite: Nefertiti gostava de cor rubi e Cleópatra era adepta do vermelho-escuro. Na china do século 3 a.C., unhas compridas e coloridas com vermelho e tons metálicos, tratados com soluções de prata eram sinal de nobreza. Já em Roma, o importante não era pintar, mas polir com materiais abrasivos.
Muito tempo se passou, e as tintas ganharam a companhia de cremes e pós de polimento. No século 19 surgiram os primeiros aparelhos para cutículas (antes retiradas com ácidos). Com eles, começaram a aparecer salões de beleza, onde um precursor dos esmaltes atuais era aplicado com um pincel de pelo de camelo. Mas a tinta desaparecia em poucas horas.
O esmalte para unhas, como o conhecemos hoje, surgiu em1925, cinco anos depois do equivalente para carros. O primeiro produto era transparente, rosa-claro, aplicado apenas no meio das unhas. Ao fim da década, as grandes estrelas do cinema, como Jean Harlow e Gloria Swanson, já se deixavam fotografar com as mãos pintadas. Em 1932, os irmãos americanos Charles e Joseph Revlon criaram um novo produto, brilhante e colorido com pigmentos.

De lá para cá, a paixão pelo esmalte só fez crescer. Os enfeites modernos têm diversas cores e formas e já fazem a cabeça de muitos homens da atualidade. (MAURÍCIO BARROS DE CASTRO, Aventuras na História, Ed. 76, novembro/2009, pág. 24).
 

Ver mais CURIOSIDADES

..

BUSCA
Google

PROCURE NA CAIXA ABAIXO