A FÉ - O PODER DO PENSAMENTO POSITIVO -- 06/05/2001 -

O que é mesmo fé? Tem ela algum valor?  A prática comprova que sim.

Fé significa literalmente “confiança”. Quando o religioso é considerado de muita fé, isso significa simplesmente que ele tem grande confiança no poder de seu deus. E, independentemente de qual seja seu objeto de culto e fé, isso pode lhe trazer resultados surpreendentes. É o poder do pensamento positivo.

Quando alguém diz que tem fé, quer dizer que confia.  Pode ter fé em algo sobrenatural que suponha existir, pode ter fé em si próprio ou em qualquer outro ser.  Um equilibrista que caminha sobre um cabo de aço a grande altura tem fé nas próprias habilidades. Se duvidar de si mesmo, poderá cair. Quase qualquer pessoa está apta a caminhar sobre uma viga estreita a vinte centímetros do chão. Se essa viga ficar a alguns metros de altura, os mesmos que andaram sobre ela poderão cair se tentarem fazê-lo. Isso ocorre porque não desenvolveram ainda a fé em se mesmos, e o temor os desequilibra.

A fé em algum ser sobrenatural aparece em todas as partes do mundo, em todos os tempos. Os antigos egípcios, os mesopotâmios e outros de eras bem remotas confiavam seus destinos a inúmeros deuses. Os persas resumiram essas divindades a apenas duas: Arimã, o deus do mal, criador de todas as coisas ruins, e Mazda, o deus do bem. Para granjear o beneplácito dos deuses, esses povos ofereciam sangue de animais e, muitas vezes, até sacrifícios de vidas humanas. Os hebreus, os fundadores do monoteísmo, criam que Jeová, o deus criador de todas as coisas, único deus, se comprazia com as ofertas de animais, frutas, cereais e bebidas. Sacrifícios humanos a Jeová (ou talvez Javé) eram raros. Os indígenas amazônicos praticam certos rituais para afastar os maus espíritos das florestas, que supõem existir. Para os cristãos, o sacrifício de Jesus, o Cristo, que sofreu a mais infame das mortes, a crucifixão, foi o sacrifício perfeito, hábil a tirar o pecado do mundo. Ao crente cabe apenas fazer orações (agradecimentos e pedidos) a Deus, com algumas exceções. É comum ainda hoje encontrarmos, em regiões como o Nordeste Brasileiro, pessoas que praticam a autoflagelação, julgando estarem com isso viabilizando o perdão de seus pecados.

Atualmente, o politeísmo está reduzido a algumas tribos mais primitivas. Todavia, embora professando o monoteísmo, algumas religiões, como os católicos, crêem em um infinidade de santos, como São João, São Pedro, Santo Antônio e outros, sendo a Virgem Maria, a mãe de Jesus, a mais venerada e considerada a mais milagrosa. Há os que crêem que Santo Antônio favoreça o casamento e outros santos desempenham outras funções, principalmente nos meios mais rústicos da nossa população. As religiões cristãs mais modernas já não aceitam outras divindades, crendo apenas em um deus único, que denominam apenas Deus, e seu filho, Jesus Cristo, excluindo sacrifícios pelos pecados. O ponto em comum entre todas as religiões, desde as dos povos mais primitivos até as dos mais desenvolvidos, é a crença em que a humanidade está sob o controle divino, e o poder do pensamento pode trazer aos religiosos resultados importantes. O simples fato de imaginar que exista um ser sobrenatural poderoso guiando os destinos do mundo pode levar o religioso a se recuperar de uma enfermidade ou obter outro resultado positivo, que chamam de milagre.

Nem sempre o ser humano entende a enorme capacidade de reação do seu organismo, mas pode estimulá-la grandemente através da crença em que está sob os cuidados de uma divindade miraculosa, assim como se confia em um medicamento.  Você pode ter fé em um deus, em uma outra pessoa ou em si mesmo, e de sua fé pode depender o seu sucesso. É o grande poder do pensamento positivo, a confiança.

Veja o poder da fé em EFEITO PLACEBO E EFEITO NOCEBO
 


Ver mais CONHECIMENTOS GERAIS

Para abrir em nova janela, mantendo esta página aberta, pressione SHIFT ao clicar no link.

- -

BUSCA
Google

PROCURE NA CAIXA ABAIXO