FERIADOS GERAM PERDA NO COMÉRCIO?

 

Feriados de 2017 devem gerar perda de R$ 10,5 bilhões ao varejo, prevê estudo

Prejuízo é 2% maior que o projetado para 2016, devido ao maior número de feriados e pontes em dias úteis, diz FecomercioSP.

Por G1

02/01/2017 16h50

Segmento de supermercados deve ter prejuízos de R$ 3 bilhões. (Foto: Káthia Mello/G1)

 

O comércio varejista brasileiro deve ter prejuízo de R$ 10,5 bilhões em 2017 devido aos feriados nacionais e pontes, prevê um estudo da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

 

A perda é 2% maior que a projetada em 2016, principalmente pelo fato de que este ano haverá uma ponte a mais que no ano anterior e um destes feriados cairá em dia de semana. O feriado de 1º de maio, em 2016, foi celebrado no domingo e agora será na segunda-feira.

 

O setor de vestuário, tecidos e calçados deve perder cerca de R$ 1,1 bilhão com os feriados e pontes de 2017, prejuízo 23% maior em relação a 2016. Em termos de faturamento, o segmento de "outras atividades" perderá cerca de R$ 3,9 bilhões, 8% a menos que em 2016, o único com variação negativa. Nesse grupo, destacam-se o comércio de combustíveis, joias e relógios, artigos de papelaria, dentre outros.

 

Já os setores ligados aos bens essenciais devem participar com pouco menos que 45% da perda no próximo ano. Segundo o estudo, o segmento de "supermercados" deve ter prejuízos perto de R$ 3 bilhões, 2% acima do calculado para 2016, enquanto "farmácias e perfumarias" tende a registrar perda de R$ 1,6 bilhão, 7% superior a 2016.

 

O estudo desconsiderou os feriados estaduais e municipais que também afetam a atividade comercial. Os estabelecimentos que desejam abrir nos feriados para tentar suavizar essas perdas terão custos adicionais (100% para trabalhos em feriados adicionados de cerca de 37% de encargos) o que pode inviabilizar essa opção, segundo a entidade.

http://g1.globo.com/economia/noticia/feriados-de-2017-devem-gerar-perdas-de-mais-de-r-10-bilhoes-ao-varejo-preve-estudo.ghtml

 

 

Sempre ouço dizerem isso, que comércio tem perdas com feriados, mas acho muito ilógica essa afirmação. Vejamos:

 

vestuário, tecidos e calçados” – tudo que vou precisar de roupa e calçado durante o ano parecer não ser menos do que em um ano com menos feriados.  Os feriados não me farão comprar menos do que eu preciso, e a falta deles não me fará comprar mais do que o tenho que comprar.  Se eu não comprar em determinado dia por estarem fechadas as lojas, eu compro no dia seguinte.

 

joias e relógios, artigos de papelaria”. Não vejo nenhuma relação com o uso e durabilidade dos meus relógios com o número de feriado.  Se meu relógio não me servir mais, eu vou comprar outro, e a existência de muitos ou poucos feriados não me fará comprar menos nem mais relógios do que o que eu preciso.  Se tiver que comprar um ou dois, os feriados não terão nenhuma influência nisso.

 

combustíveis” – Em regra gasto bem mais combustíveis nos dias de úteis do que nos feriados, mas algumas pessoas podem gastar mais.  Assim, variação de consumo devido ao feriado deve ser pequena, podendo ser um pouco menos ou até um pouco mais, levando em conta aqueles que aproveitam os feriados para uma pequena viagem que talvez eleve um pouco o consumo.

 

"supermercados" - Não me parece que as pessoas vão comer menos nos feriados. Tudo mais que os supermercados vendem tende a ser consumido na mesma quantia em 365 dias sejam com mais ou menos feriados. 

 

"farmácias e perfumarias" – talvez algumas pessoas até usem mais perfumes nos dias de feriado, tornando o consumo um pouco maior em vez de menor.  E o consumo de medicamentos não tem lógica para ser menor devido ao número de feriados, a menos que os feriados melhorem a saúde das pessoas.

 

Agora, há um setor com o qual eu gasto bem mais quando há mais feriados: restaurante.  Durante os dias úteis, eu e toda a família comemos em casa, e nos feriados comemos em restaurante.  Assim, o pouquinho a menos que como vindo do supermercado é substituído pelo que o restaurante comprou, e eu acabo gastando mais e o restaurante ganhando mais quando há mais feriados.

 

E há mais quem ganhe com feriados – aqueles pequenos comércios de parques, como vendedores de pipoca, doces, salgadinhos, sorvetes, etc. vendem muito mais nos domingos e feriados, dias em que muito mais pessoas levam as crianças aos partes.  E, como essas coisas não são do consumo do dia-a-dia, o número de feriados faz diferença, havendo maior faturamento para esse tipo de comércio.

 

Outro detalhe contrário à ideia de perda nos feriados – Quando eu ia muito a serviço judicial em uma grande empresa, certo dia seria feriado na quinta-feira, o gerente jurídico da empresa me disse que lá eles emendaria a sexta com o feriado, dispensando todos os funcionários de trabalhar naquele dia, e isso seria, não perda, mas economia para a empresa; e ainda explicou por quê:  deixando a empresa fechada da quinta até o domingo, a emenda da sexta-feira seria um dia a menos no consumo de energia elétrica da empresa e nos vales-transporte dos funcionários, e o serviço que ficasse sem fazer na sexta seria diluído imperceptivelmente nos dias seguintes.  E esse consumo a menos se aplica a quase todos os tipos de empresa, não sendo diferente no comércio.   Ademais, estudos recentes nos Estados Unidos comprovaram uma grande enconomia de energia em uma experiência de quatro dias de trabalho por semana.

 

Parece que o tal “estudo” deve estar dividindo o valor vendido durante um ano inteiro pelo número de dias e calculando a média diária, imaginando quanto teria vendido a mais se não existisse os feriados, o que é uma hipótese falsa, uma vez que o que alguém precisa comprar em qualquer comércio, se não pode ser comprado num feriado, é comprado em outro dia, deixando inalterado o valor a se comprar durante o ano.  Analisando tudo isso, não vejo onde é que o comércio possa perder com o maior número de feriados.

 

Ver mais POLÍTICA  E ECONOMIA

 

 

..

.