A ORIGEM DE DEUS E O PREDOMÍNIO DE YAVÉ
- 13/04/2006 -

 

Deus tem origem na interpretação humana primitiva dos fenômenos da natureza. Para o homem primevo, tudo que se movimentasse deveria fazê-lo pela mão de alguém. Assim, imaginou um ser invisível. Diante da grande força dos fenômenos naturais, o homem imaginou um ser de força descomunal, ou vários seres superpoderosos, aos quais chamou deuses. Através de um livro que apareceu na reforma do templo nos dias de Josias rei de Judá, e depois uma montagem de textos das escrituras pelos mestres cristãos, um deus sobressaiu aos outros, tornando-se o único deus verdadeiro para a maior parte da humanidade.

Assim como os animais sentem a presença de algum monstro diante de uma tempestade, o homem primitivo, vendo fenômenos da natureza, imaginava a existência de um ser invisível que fizesse todas aquelas coisas. O trovão seria a sua voz; o brilho do relâmpago, a demonstração do seu poder; o vento, o seu poderoso sopro; e a que de um raio destruindo uma árvore, ou até matando algum animal, seria esse ser agindo de forma arrasadora; assim, tudo que ocorresse sem o impulso de um ser vivo deveria ser ato de um ser invisível, sobrenatural.

Sem dúvida, os seres humanos viam em sonho os seres sobrenaturais que imaginavam. Esses conteúdos oníricos, além de parecerem uma confirmação definitiva da existência do ser, ou seres imaginários, serviram de base para formar a crença de que o homem tem também um lado sobrenatural, que se separa do corpo, viaja para os mais distantes lugares e vê os seres naturalmente invisíveis, como até hoje muitos creem.

Os outros animais permaneceram temendo o monstro invisível. O homo sapiens, por sua vez, procurou conquistar a amizade dessa entidade sobrenatural, oferecendo-lhe sacrifícios, e se viu protegido por esse ser que antes só provocava medo.  É por isso que, em todos os cantos do planeta, não só no âmbito dos egípcios e hebreus, mas até no continente americano, onde outros povos estão separados deles por dezenas de milhares de anos, o sacrifício de vidas pelos deuses é elemento comum de todas as religiões.

 

Como o homem, a não ser em sonho, nunca via esse ente sobrenatural, a que chamou deus, chegou à conclusão de que não fosse um único, mas muitos deuses. Crêem os hebreus e cristãos que Yavé, para eles o único "deus verdadeiro", fez o homem à sua imagem. O mais provável é que os povos mais antigos pensassem que cada animal existente no mundo fosse a imagem de um deus.

Dados arqueológicos mostram, e a própria Bíblia revela que os hebreus adoraram muitos outros deuses além de Yavé. Todavia, um dia concluíram que Yavé fosse o único deus verdadeiro, e todos os outros fosse produtos da imaginação dos homens. Estavam quase cem por cento certos.

Nos dias em que Josias mandou fazer uma reforma do templo de Jerusalém, lá apareceu um livro. Esse livro continha uma história do mundo desde a sua criação até aqueles dias. Parece ter sido nessa época que os hebreus firmaram a crença de que Yavé era o único deus e que os hebreus eram o povo escolhido de Yavé para dominar o mundo. Tanto é, que Josias mandou matar todos os sacerdotes que ofereciam sacrifícios aos outros deuses.

A arqueologia refuta boa parte da referida história contida no livro encontrado no templo, que acreditam ter sido escrito por Moisés. Na grande quantidade de registros encontrada em bibliotecas egípcias não se achou nada que confirmasse a estada de Israel no Egito e a existência de um homem como Moisés. Se fosse uma história real, deveria ter ficado pelo menos alguma menção a um homem do reino que se rebelou e fugiu do país com um grupo estrangeiro. Nenhum vestígio arqueológico foi encontrado de um povo navegando pelo deserto. Uma multidão de aproximadamente dois milhões de pessoas, como está informado na Bíblia, não viveria quarenta anos no deserto sem deixar nenhuma marca. Mesmo pequenos grupos de pessoas seriam percebidos pelos avançados recursos arqueológicos atuais. Outrossim, algumas cidades mencionadas na jornada de Abraão não existiam à época em que Abraão teria vivido. E a cidade de Jericó não tinha muros para serem derrubados como está escrito que foram milagrosamente pelo som das trombetas do exército de Josué.

É de se observar que, segundo o livro encontrado no templo, o Deus Yavé falava face a face com Abraão, Isaque, Jacó e também com Moisés; porém nos dias de Josias só se revelava aos profetas em sonho.
* Se nos tempos patriarcais houve um deus que falava diretamente com eles, por que esse deus depois só falava em sonho aos profetas e nunca diretamente?
** Se esse deus falou através de um profeta que um ungido judeu iria destronar a Assíria e estabelecer um reino eterno englobando Judá e Israel, e isso não se cumpriu, pode-se dizer que isso é palavra de um deus verdadeiro, um deus que realmente exista? Esse deus não foi em nada superior aos outros deuses que os hebreus adoraram nem aos deuses dos assírios, dos egípcios, dos babilônios, dos persas, etc. Tanto é, que, quando os hebreus se tornaram mais fiéis a Yavé, a situação deles, aos invés de melhorar, foi só piorando, até desaparecer a sua monarquia, que, segundo as promessas de Yavé, seria eterna.

Quem acredita cria argumento para justificar tudo. Eles devem ter explicações para o deus deles não falar hoje com ninguém e ter falado no passado. Não obstante a época exata de vir o tal messias fosse nos dias em que a Assíria entrasse na terra de Judá - e a Assíria deixou de existir -, os hebreus ainda são capazes de acreditar que esse messias ainda irá aparecer. Porém, o mais fora da realidade é os cristãos acreditarem que um dos heróis executados pelos romanos seja esse messias. Mas tudo isso é aceito como verdade, porque décadas depois de sua morte apareceram os evangelhos dizendo que ele ressuscitava os mortos e também fora ressuscitado.

O que podemos ver bem claramente no chamado Novo Testamento é que os mestres cristãos utilizaram fragmentos de partes das escrituras hebraicas fora de seus contextos para enquadrar Jesus ao ungido libertador prometido pelos profetas. Assim foi mais fácil passar ao mundo a idéia de que Jesus seja o filho do deus Yavé enviado para a salvação da humanidade e que Yavé seja o verdadeiro deus, sendo todos os outros criações da mente humana.

Os fenômenos da natureza deram origem aos seres sobrenaturais em que todos os povos do mundo crêem. E, graças ao famoso livro que apareceu na reforma do templo nos dias de Josias, e à obra de distorção de sentido de muitos textos das escrituras hebraicas pelos mestres cristãos, Yavé se tornou o deus verdadeiro para a maior parte do mundo de hoje.

Para mais detalhes, veja
* A ORIGEM DA BÍBLIA
e
** O MESSIAS DE BELÉM NUNCA EXISTIU NEM PODERÁ EXISTIR
 

Ver mais RELIGIÃO

 

..

.