POLICIAL RECUSOU PROPINA!

 

PM que recusou R$ 1 milhão de Nem diz que não fez nada de 'anormal'
Ele tem salário de R$ 3 mil por mês.
Traficante foi encontrado em porta-malas de carro na quinta-feira (10).
 

Policial contou que filhos gostaram de o ver na
televisão (Foto: Rosanne D'Agostino)

Pouco mais de R$ 3 mil é o salário do 1º tenente Disraeli Gomes Figueiredo e Silva, 35 anos, policial militar do Batalhão de Choque do Rio de Janeiro que recusou suborno de R$ 1 milhão ao prender o traficante Antônio Bonfim Lopes, o Nem, apontado como chefe do tráfico na Favela da Rocinha. “Não tive nenhuma atitude anormal”, afirmou nesta sexta-feira (11) o PM.

Segundo o tenente, o salário não é o que deve mover um policial. “Caráter, valores formam um policial honesto”, disse.

O traficante Nem foi preso na madrugada de quinta-feira (10), enquanto tentava fugir no porta-malas de um carro, em consequência da ação de homens do Batalhão de Choque, que faziam revistas nos acessos à comunidade da Rocinha. Antes da prisão, os homens que o ajudavam chegaram a oferecer R$ 1 milhão de suborno em troca da liberdade de Nem, segundo a polícia.

“Só fiz o meu trabalho, aquilo que sou treinado para fazer, o que acreditava, os valores que meu pai e minha mãe me colocavam desde criança. Acredito que sejam os valores que a maioria da sociedade tem, então não fiz nada demais, não tive nenhuma atitude anormal”, disse o 1º tenente em entrevista no batalhão.

Segundo Gomes, seus três filhos acompanharam tudo pela televisão e tentavam protegê-lo. “Meus filhos fizeram muita brincadeira por conta de ver o pai dentro da televisão, dando tchau, tentando interação, que todo mundo sabe que é impossível, mas no mundo imaginário de uma criança, tudo é possível”, contou.

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2011/11/pm-que-recusou-r-1-milhao-de-nem-diz-que-nao-fez-nada-de-anormal.html
 

O assunto foi matéria no rádio, e alguém comentou também na internet: "Algo está muito errado num país, onde um policial que recusa propina de um marginal, cumpre sua obrigação e seu dever e prende o bandido, acaba virando celebridade e herói nacional…"(http://maringa.odiario.com/blogs/edsonlima/)

 

Isso me fez lembrar Rui Barbosa, que há quase cem anos, em entrevista no Senado Federal, em 1914, respondeu:

"De tanto ver triunfar as nulidades,
de tanto ver prosperar a desonra,
de tanto ver crescer a injustiça,
de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus,
o homem chega a
desanimar da virtude,
a rir-se da honra,
a ter vergonha de ser honesto"
.
(Rui Barbosa, Obras Completas, v. 41, t. 3, 1914, p. 86).

 

Felizmente Disraeli não se envergonhou.

 

..

.