SEM PÉ DE CEDRO

 

Certo dia em 2016, ouvindo a música "Pé de Cedro", lembrei-me de quando vivia em Mato Grosso quarenta ano atrás, e me veio minha versão.

Pé de Cedro

Foi num belo Mato Grosso
Há vinte anos atrás
Naquele tempo querido
Que não volta nunca mais

Nas matas onde eu caçava
Um pequeno arbusto achei
Levando pra minha casa
No meu quintal eu plantei

Era um belo pé de cedro
Pequenina, em formação
E plantei suas raízes
Na terra fofa do chão

Um dia parti pra longe
Amei e também sofri
Vinte anos se passaram
Em que distante vivi

Hoje volto arrependido
Para o meu antigo lar
Abatido e comovido
Com vontade de chorar

E rever meu pé de cedro
Que está grande como o quê
Mas é menor que a saudade
Que hoje sinto de você

Cresceu como minha mágoa
Cresceu numa força rara
Mas é menor que a saudade
Que até hoje nos separa

A terra ficou molhada
Do pranto que derramei
Que saudade, pé de cedro
Do tempo em que eu te plantei

Que saudade pé de cedro
Do tempo em que eu te plantei
Sem Pé de Cedro

Foi num belo Mato Grosso
Quarenta anos atrás
Naquele tempo perdido
Que não volta nunca mais

Nas matas onde eu roçava
Eu muito arbusto cortei
Não levei pra minha casa
Nem no quintal eu plantei

Eu cortei os pés de cedro
Árvore grande e em formação
Eu queimei suas as raízes
Na terra daquele chão

Um dia parti pra longe
Andei e também corri
Muitos anos se passaram
Em que distante vivi

Eu não volto arrependido
Para aquele antigo lar
Pois tudo foi removido
Até casa de morar

Não vou ver mais pé de cedro
Só pastagem como quê
Não dá pra sentir saudade
Nem pra mim nem pra você

Cresceu lá só invernada
Cresceu numa força rara
Não dá pra sentir saudade
Ante o que nos depara

A terra foi desmatada
No canto em que morei
Não há mais um pé de cedro
Nem nada do que plantei

Não há mais um pé de cedro
Nem nada do que plantei

..

.