SEXO E DROGAS



 

"Uso de Drogas: Todas podem causar ou contribuir para o problemas sexuais. Maconha (que também pode provocar esterilidade), álcool, nicotina, cocaína e anti-depressivos trazem entre outros problemas, a impotência."

<https://grupodeandrologia.com.br/impotencia-sexual-tem-uma-nova-alternativa-o-spray/#.U9D_uaPEnlY>

 

SEXO E ÁLCOOL

 

Referência: Bebidas alcoólicas
Conceito: Quando tomada em pequenas quantidades é considerada desinibidora e afrodisíaca.
Efeitos: É considerada uma droga depressora do sistema nervoso central. Se tomada em grandes quantidades, embora possa provocar o desejo sexual, ela acaba com o desempenho, pois inibirá a resposta sexual, como a perda da ereção, por exemplo.
Agravantes: Com o uso por tempo prolongado, provocará diminuição no desejo, rebaixamento do nível do hormônio testosterona e bloqueio ejacultório.

Se tomada em grandes quantidades e com freqüência, poderá inibir todas as fases da resposta sexual, podendo inclusive provocar impotência sexual, pois quando acontece o fracasso sexual por mais de uma vez, a própria preocupação da possibilidade de novos fracassos acabará criando grande ansiedade no desempenho sexual, podendo assim, desencadear a impotência.

 

SEXO E COCAÍNA

Referência: Arbusto erythroxylon coca.
Conceito: Estimulante do sistema nervoso central.
Efeitos: Causa euforia, excitação, insônia e perda da sensação de cansaço. Provoca o desejo sexual nas primeiras vezes que é usada, mas geralmente, seguida de depressão. De efeito intenso e curto, acaba sendo o maior motivo para tomar novas doses.
Agravantes: Em forma de pó e aspirada pelas narinas ou injetada, a cocaína com o tempo, acaba com o desejo sexual nas mulheres e compromete a fase do orgasmo. Nos homens, afeta a manutenção da ereção. Pode ocorrer também um efeito contrário, com uma ereção prolongada e muito dolorosa.
 

SEXO E CRAQUE

Crack
Referência: Mistura de pasta de cocaína com bicarbonato de sódio.
Conceito: Atinge o sistema nervoso central em segundos.
Efeitos: De efeito intenso e rápido, causa intensa sensação de poder, euforia, falta de apetite e hiperatividade. É a droga que destrói com mais rapidez o usuário.
Agravantes: Se a droga não for repetida, acaba gerando imenso cansaço e depressão, sendo que neste último estado, nada mais importará para o usuário da droga, inclusive sexo.
 

SEXO E ÊCSTASE

Referência: Comprimidos de metilenedioximetanfetamina
Conceito: droga alucinógena e estimulante
Efeitos: Proporciona sensação de bem estar, euforia, e facilidade no relacionamento interpessoal. Aumenta os batimentos cardíacos e favorece a desidratação, pois pode ocorrer uma grande elevação da temperatura.
Agravantes: Não se sabe ainda as conseqüências do seu uso contínuo, por ser uma droga nova. O perigo maior se instala quando o efeito da droga termina, pois a temperatura pode elevar-se até 42 graus. Apesar da sensação de excitação, acredita-se que pode perturbar a performance sexual.
 

SEXO E HEROÍNA

Referência: Derivada do ópio(papaver somniferum/papoula)
Conceito: Atua como depressor no sistema nervoso central
Efeito: Tem efeito direto no desejo e interesse sexual.
Agravantes: Como toda droga derivada do ópio, a heroína é um inibidor sexual, levando seus usuários a gradualmente se desinteressarem pelo sexo.
 

SEXO E MACONHA

Referência: Folhas da planta cannabis sativa.
Conceito: Droga alucinógena que age no sistema nervoso central.
Efeitos: Pode causar sensação de bem estar, relaxamento, sonolência ou o contrário, como angústia, perda da noção de tempo e espaço e prejuízo da memória e atenção. Quando usada, ocorre a dilatação das pupilas, secura na boca, fome, podendo também o coração disparar. Usuários costumam sentir maior desejo e o prazer sexual aumentados.
Agravantes: Com o uso prolongado diminui os níveis de testosterona e a taxa de espermatozóides. No campo psicológico, acredita-se que o efeito da droga esteja diretamente ligado a expectativa que a pessoa tenha sobre o que vai sentir. Talvez por isso e pela perda de noção de tempo que o usuário de maconha é acometido, faça com que acredite e sinta que o desempenho sexual dele tenha sido melhor e mais prolongado, até que consolidem os resultados negativos, com a baixa no nível de testosterona e do número de espermatozóides.
 

SEXO E TABACO

Referência: Tabaco (plantas e folhas tratadas de diversas espécies de nicotina)
Conceito: Agiliza as trocas sinápticas do cerebro e ativa a memória. O usuário passa a ter dificuldade de raciocínio quando falta a droga.

Efeitos: O efeito do tabaco se dá essencialmente pela ação da nicotina, que é um alcalóide volátil, presente na folha da planta. Existem outros componentes tóxicos que são agravantes e de efeitos nocivos que estão presentes em cada tragada, como: alcatrão, ácido cianídrico, amoníaco, óxido de carbono, formaldeídos e, mais ou menos, 4 mil substâncias diferentes.

Agravantes: A nicotina, segundo estudiosos, provoca mais dependência física do que a cocaína e a heroína. Outras evidências indicam que o fumante inveterado apresenta uma redução na contagem de espermatozóides e que podem levar a infertilidade. Outros estudos mostram que existem associações entre o fumo e o início precoce da menopausa e da redução do impulso sexual.

"Quem fuma corre risco de ficar impotente. A conclusão é do Dr. Carlos Manuel de Carvalho, pneumologista, professor de Biometria na Universidade Estadual do Rio, publicada no Jornal Brasileiro de Medicina.

Com base em publicações internacionais ele informou que uma pesquisa feita num grupo de impotentes revelou 8l% de fumantes... Segundo o pneumologista, a causa do fenômeno é a menor pressão sangüínea na região do pênis que afeta os fumantes prejudicando a ereção. Há também estudos que sugerem que os fumantes produzem menor número de espermatozóides por efeito da nicotina.
" (Vida Integral, maio de 1992, pág. 18).

Se apenas próximo de 20% da população fuma e mais de 80% dos impotentes são fumantes, a dedução lógica é que o tabaco é a maior causa de impotência que se conhece.

Segue abaixo um estudo mais recente, que recebi hoje:

"Todo mundo já sabe que o cigarro faz mal à saúde. O que muita gente não sabe é que o cigarro pode afetar a vida sexual das pessoas.Nesta área, as pesquisas são conflitantes, mas todas elas concordam em um ponto: o tabagismo faz mal para a prática do sexo e a fertilidade. O que ainda não se sabe é se o cigarro é ou não a causa direta de distúrbios sexuais.Para começar, foi realizado um estudo, do Instituto de Andrologia do Centro para Medicina Reprodutiva, em Lexington, EUA, que revela que o prejuízo pode ser de forma direta. Durante o ato sexual, a qualidade da relação dos fumantes é pior do que em indivíduos que não fumam. E a capacidade de concepção também é menor. A conclusão da pesquisa é de que fumar diminui o desejo sexual dos homens. E diante da ausência de desejo, diminui a freqüência, inclusive, com episódios de impotência.O vício do cigarro também pode causar a deterioração da qualidade do esperma, segundo a pesquisa realizada pelo Instituto de Andrologia do Centro para Medicina Reprodutiva, nos EUA, que revela que a qualidade do espermatozóide de não-fumantes é superior ao de fumantes.Por exemplo, a nicotina atinge diretamente as células que produzem os espermatozóides. Isso provoca nos fumantes diminuição na quantidade e na qualidade de espermatozóides.Para um exame preciso, é recomendado o teste da função espermática e o espermograma, em que são avaliados a quantidade, a vitalidade a mobilidade e a morfologia dos espermatozóides.Nos itens vitalidade e mobilidade, os testes analisam a quantidade de espermatozóides vivos e a velocidade em que se movimentam, que, invariavelmente, são menores nos fumantes.O formato do espermatozóide é a informação mais importante para determinar a qualidade. O espermatozóide normal tem sempre forma ovalada, enquanto que o do fumante apresenta formatos fusiformes, de pera ou amorfo que dificultam a fecundação.Já em outra pesquisa, casais fumantes e não-fumantes foram indagados sobre o grau de satisfação na relação sexual. Os não-fumantes, tiveram média de 8,7, enquanto que os fumantes qualificaram o sexo em 5,2, na média. Apesar de os números mostrarem que o cigarro afeta o desempenho sexual, cientistas ainda não descobriram como o cigarro produz essa deficiência no organismo.O tabagismo ainda pode influenciar de forma negativa na fertilidade feminina. O Serviço de Prevenção Cardiológica do Instituto do Coração, em São Paulo, realizou um estudo que a taxa de fertilidade nas mulheres fumantes é menor do que nas não-fumantes.Em testes realizados no fluido do ovário em mulheres fumantes, esse estudo constatou um nível elevado de nicotina e cotidiana, duas das 4.700 substâncias presentes no cigarro. O estudo também analisou a a capacidade do óvulo ser fertilizado in vitro. Os resultados foram: a fertilização aconteceu em 75% dos óvulos das mulheres que não fumavam e apenas em 57% das que fumam.Já para as mulheres grávidas, os efeitos da nicotina acarretam prejuízos no corpo e no feto. A nicotina reduz o fluxo placentário, o que determina o envelhecimento e o descolamento precoce da placenta, maior risco de aborto e menor crescimento e peso do feto.Então, lembre-se que o seu prazer sexual pode estar indo embora na fumaça de seu cigarro." (Caderno Guia Sexual do Uol).

Veja também: OS EFEITOS DO CIGARRO EM CADA CANTINHO DO SEU CORPO

Ver mais DROGAS

 

..

.