SÍNDROME DE BURNOUT

 

Síndrome de Burnout: O que é, quais os sintomas e como tratar?
 

Síndrome de burnout sintomas

Continuando nossa série de posts sobre janeiro branco, hoje vamos falar sobre a síndrome de burnout e seus sintomas. Você vai conhecer os impactos do esgotamento profissional sobre a saúde mental e descobrir algumas maneiras de desempenhar seu trabalho de forma mais agradável e principalmente – mais saudável.

Consideramos esse tema muito relevante, pois ele vem de encontro a tudo aquilo que o janeiro branco se propõe: estimular a reflexão sobre o sentido e o propósito das nossas vidas. Sabemos que dedicamos boa parte do nosso tempo ao nosso trabalho, e isso é ótimo, desde que saibamos dosar nossa energia. E estejamos trabalhando sempre em sintonia com os nossos valores, também atentos a nossa qualidade de vida e bem-estar: mental, emocional e físico.

Nossos monstros internos e a saúde mental

Quando o trabalho deixa de ser motivo de satisfação e orgulho e passa a nos fazer mal, é importante ligar um sinal de alerta. Te convidamos a fazer essa leitura prestando atenção aos sintomas da síndrome de burnout e a forma como você tem encarado o seus compromissos diários no ambiente de trabalho. Vamos lá:

Burnout - O que é
Síndrome de Burnout: Definição


A síndrome de burnout é um distúrbio psíquico caracterizado pelo estado de tensão emocional e estresse provocados por condições de trabalho desgastantes.

Profissionais das áreas de educação, saúde, assistência social, recursos humanos, agentes penitenciários, bombeiros, policiais e mulheres que enfrentam dupla jornada correm mais risco de desenvolver o transtorno. ¹

O cenário de adoecimento profissional se tornou tão alarmante que Organização Mundial de Saúde incluiu recentemente a síndrome de burnout na Classificação Internacional de Doenças (CID-11), prevista para entrar em vigor em 1º de janeiro de 2022. 2

Vale lembrar que o CID é a principal ferramenta do cotidiano médico para monitorar a incidência e prevalência de doenças, através de uma padronização universal. 3

A OMS também descreveu a condição:

“O burnout é uma síndrome resultante de um stress crônico no trabalho que não foi administrado com êxito”

O órgão também reforça que o termo se refere apenas ao contexto profissional. O stress desencadeado por outras causas – como problemas financeiros ou familiares – não deve ser classificado como burnout. ²

A principal causa da doença é justamente o excesso de trabalho. Os sintomas de burnout podem se manifestar de várias maneiras, incluindo os sinais clássicos de estresse: nervosismo, dor de barriga, cansaço, tontura e falta de apetite. Mas outros fenômenos também devem ser levados em conta. Confira: 1,3

Sintomas físicos de burnout
Síndrome de Burnout: Reconheça o sintomas

A sensação de esgotamento físico e emocional da síndrome de burnout pode trazer sintomas físicos, entre eles podemos citar:

Dores de cabeça constante;
Enxaqueca;
Cansaço;
Suor excessivo;
Palpitação;
Pressão alta;
Dores musculares;
Insônia;
Crises de asma.

Distúrbios gastrointestinais como azia, diarreia e prisão de ventre também são sintomas físicos que podem estar associados à síndrome de burnout.
Síndrome de Burnout: Sintomas psíquicos

Não é apenas o nosso corpo que sofre com os sintomas de esgotamento profissional, nossa saúde mental fica prejudicada e também é comum que a síndrome de burnout apresente sintomas psíquicos, entre eles podemos citar:

Irritabilidade;
Dificuldade de concentração;
Problemas de memória;
Ansiedade;
Depressão;
Pessimismo;
Sentimento de fracasso e insegurança;
Baixa autoestima.

Síndrome de Burnout: Sintomas comportamentais

Além dos sinais físicos e mentais que o nosso corpo manifesta, a doença também se reflete em atitudes negativas, por exemplo:

Ausências no trabalho;
Agressividade;
Tabagismo;
Abuso de álcool ou drogas;
Isolamento social;
Mudanças bruscas de humor.

Nem sempre estes problemas se manifestam de forma intensa. Normalmente os sintomas de burnout surgem de forma leve, mas tendem a piorar com o passar dos dias. Por essa razão, muitas pessoas acham que pode ser algo passageiro. O mais típico é a ausência de vontade de sair de casa para trabalhar – ausência mesmo; você pensa seriamente em ficar em casa sem motivo, e arriscar sua vida profissional. ²
Prevalência e Estatísticas da Síndrome de Burnout

Ainda não temos estatísticas sobre a quantidade de pessoas com o problema ao redor do mundo, a previsão é que a partir de agora, com a doença entrando no CID a partir de 2022, seja mais fácil medir o número de pessoas diagnosticadas com a doença.

Mesmo assim, tudo indica que a situação no Brasil não seja das melhores, pois a International Stress Management Association (Isma-BR) estima que 32% dos trabalhadores brasileiros sofram com esse tipo de stress.

Em um ranking de oito países elaborado pela Isma-BR, estamos à frente da China e dos Estados Unidos como cidadãos mais estressados em relação aos nossos empregos. Perdemos apenas para o Japão, onde estima-se que pelo menos 70% da população sofra com os sintomas de burnout. ²

Diagnóstico de burnout
Como é o diagnóstico da Síndrome de Burnout? 4

O diagnóstico da Síndrome de Burnout é feita por profissional especialista após análise clínica e avaliação dos sintomas relatados pelo paciente.

O psiquiatra e o psicólogo são os profissionais de saúde indicados para identificar o problema e orientar a melhor forma do tratamento, que irá depender de cada caso, levando em conta a gravidade e a persistência dos sintomas.

Muitas pessoas não buscam ajuda médica porque não sabem identificar todos os sintomas, mas é importante não ignorar os sinais e prestar atenção em todas as coisas que indicam o surgimento do transtorno.

Não é normal acordar todos os dias cansado ou com pouca vontade de ir ao trabalho, pois isso pode ser um indício de que algo mais sério pode estar acontecendo.

Amigos próximos e familiares podem ser uma rede de apoio importante no início, ajudando a pessoa a reconhecer que precisa de ajuda.


Como prevenir o aparecimento da síndrome

A prevenção contra a instalação do transtorno é muito importante, pois a síndrome pode evoluir para um estado de depressão profunda, por isso é essencial procurar apoio profissional assim que surgirem os primeiros sintomas.

A melhor forma de prevenir a síndrome de burnout é criar estratégicas que diminuam o estresse e a pressão no trabalho. Um estilo de vida saudável também ajuda a evitar o desenvolvimento da doença, assim como contribui para o tratamento dos sintomas iniciais.

É fundamental manter o equilíbrio entre o trabalho, lazer, família, a vida social e as atividades físicas. Se você trabalha como empregado em uma empresa, procure conversar abertamente com seus líderes sobre suas funções e expectativas em relação ao seu futuro nesse emprego.

Caso tenha pessoas sob a sua supervisão, vale a pena pensar em estratégias que promovam o bem-estar no ambiente de trabalho, pois a cultura da empresa deve promover um espaço para trocar de ideias e compartilhamento de experiências.

Os empreendedores e profissionais autônomos precisam estar alertas a sua rotina e também a qualidade do ambiente que promove para seus colaboradores. Pois construindo um ambiente de crescimento e realização profissional, tudo melhora! Tanto para si, quanto para seus subordinados.

Tratamento para síndrome de burnout 3,4

Uma vez que o problema já esteja instalado, será necessário iniciar o tratamento. Como já falamos por aqui, ele irá depender da quantidade e gravidade dos seus sintomas. Em alguns casos, pode ser importante a administração de medicamentos que auxiliem no processo.

O tratamento da Síndrome de Burnout é feito basicamente com psicoterapia, e geralmente começa a apresentar melhora entre um e três meses, mas pode perdurar por mais tempo, conforme cada caso.

Mudanças nas condições de trabalho e nos hábitos e estilos de vida serão sempre muito importantes, já que é bastante complicado curar-se no mesmo ambiente e condições em que se adoeceu.

A atividade física regular e os exercícios de relaxamento devem ser rotineiros, pois eles irão ajudar a aliviar o estresse e controlar os sintomas do burnout.

Após o diagnóstico médico, é recomendado que a pessoa tire férias e desenvolva atividades de lazer com pessoas próximas como amigos, familiares e cônjuges, por exemplo.
Trabalho e propósito de vida

Uma das formas mais eficazes de manter a saúde mental em dia em relação à sua atuação profissional é estar conectado com seu propósito de vida. Isso porque fazendo algo que você realmente ama, do qual se orgulha e que dê significado às horas que dedica no ambiente de trabalho vai te dar mais satisfação e menos stress.

Outra dica do próprio Ministério da Saúde: evite ficar perto de pessoas “negativas”, aquelas que reclamam do trabalho o tempo todo, por exemplo. Quando se sentir pra baixo no expediente, converse com alguém que considera de confiança e busque alternativas para enfrentar seus desafios profissionais de forma equilibrada.

Uma dica que sempre damos por aqui: nunca tome medicamentos por conta própria porque dessa maneira, o que já estava ruim tende a piorar.

Evite aliviar seu stress com álcool, cigarro etc. Essas substâncias podem até dar alguma suavizada momentânea, mas a longo prazo, eles irão prejudicar ainda mais a sua saúde física e mental.

Se você anda se estressando demais do trabalho, comece a praticar essas dicas ainda hoje, você merece momentos de relaxamento, lazer descanso, tenha certeza de que isso também irá contribuir para que você ganhe mais produtividade no trabalho.

Caso conheça alguém que está passando por algo parecido, compartilhe esse artigo! Aproveite o janeiro branco para multiplicar o conhecimento sobre qualidade de vida e bem-estar!

Colaborou neste artigo:
Dr. Michel Haddad
CRM-SP 145096 / Especialidade: Psiquiatria
Referências bibliográficas e datas de acesso

1 – Drauzio Varella – acesso em 14/12/2019

2 – Super Interessante – acesso em 14/12/2019

3 – PEBMED – acesso em 14/12/2019

4 – Saúde.gov – acesso em 14/12/2019
https://superafarma.com.br/sindrome-de-burnout-o-que-e-quais-os-sintomas-e-como-tratar/

 

Ver mais sobre SAÚDE

 

..

 

.