COMO SE DESCOBRIU A VELOCIDADE DA LUZ?

 

Como para quem quer duvidar, como os que contestam as datas baseadas na radiação, sempre há uma argumento, com certeza deve haver gente dizendo que ninguém sabe se a luz tem mesmo uma velocidade de trezentos mil quilômetros por segundo. Mas um artigo da revista Galileu nos informa como se descobriu essa velocidade. Vejam abaixo:

UMA IDÉIA ILUMINADA
Rafael Garcia

A primeira medição da velocidade da luz foi feita no século 16 pelo astrônomo dinamarquês Olaf Roemer (1644-1710), que precisou apenas de papel, lápis, uma luneta e um relógio para a tarefa. Na época, Roemer cronometrou várias vezes o tempo de duração da órbita de Io, uma das luas de Júpiter. Ele notou que o eclipse (o período no qual Io permanecia encoberta pela sombra de Júpiter) ocorria em intervalos menores se a cronometragem fosse feita enquanto a Terra estivesse se aproximando de Júpiter. Roemer concluiu que isso acontecia porque a luz que vinha de Io não chegava instantaneamente à Terra, e então se aproveitou de duas dessas medições para calcular a velocidade da luz:

1ª medição (com a Terra se afastando de Júpiter)
Daniel das Neves

1- Logo ao entrar atrás de Júpiter, a lua Io envia sua última imagem (que é formada de luz) em direção à Terra
2- A imagem do eclipse leva algum tempo para chegar. Até lá, a Terra se afastou um pouco e Io andou um pouco mais em sua órbita
3- Ao completar uma órbita, Io envia novamente a imagem de seu eclipse, que chegará à Terra mais tarde
4- Como a luz de Io tem de percorrer distância maior dessa vez (d1), demora mais para chegar, e o intervalo entre eclipses aparece para nós com um tempo maior do que realmente tem (t1)

2ª medição (com a Terra se aproximando de Júpiter)
Daniel das Neves

5- Io emite a imagem do início de seu eclipse
6- A luz leva algum tempo para chegar, mas dessa vez, ao invés de se afastar, a Terra se aproxima nesse meio tempo
7- Ao completar uma volta, Io envia novamente a imagem do eclipse
8- Dessa vez, a luz vinda de Io percorre um trecho a menos (d2) e chega antes, dando impressão de que o intervalo entre eclipses é menor (t2)

Para calcular a velocidade da luz (representada pela letra c), Roemer aplicou os valores de suas medições à seguinte fórmula:
c = (d1 - d2) / (t1 - t2)

O resultado obtido foi que c era igual a 214.300.000 metros por segundo. O valor tinha pouca exatidão, porque Roemer não dispunha de dados precisos sobre as variáveis da equação (como a distância da Terra para Júpiter). Ao longo dos séculos, porém, os valores foram sendo corrigidos e técnicas de medição mais precisas foram sendo criadas. Hoje já se sabe que a luz caminha a 299.792.458 metros por segundo, e que o raciocínio de Roemer estava certo.
Fonte: Roberto Stempniak, pesquisador do CDT (Centro de Desenvolvimento de Tecnologia)

 

Ver mais CIÊNCIA...

 

..

.