A BÍBLIA E A ESCRAVIDÃO


A Bíblia, livro sagrado dos cristãos, defende a escravidão do princípio ao fim, ou seja, no Velho Testamento (escrituras sagradas judaicas) e no Novo testamento (parte escrita pelos criadores do Cristianismo).


Gênesis 17:12
idade de oito dias, todo varão dentre vós será circuncidado, por todas as vossas gerações, tanto o nascido em casa como o comprado por dinheiro a qualquer estrangeiro, que não for da tua linhagem.

Nesta passagem, o deus dos judeus considera normal que pessoas comprem outras pessoas e, obviamente, não critica este costume. Deus quer que os escravos sejam circuncidados da mesma maneira que os não-escravos.

Êxodo 12:43-45
Disse mais o Senhor a Moisés e a Arão: Esta é a ordenança da páscoa; nenhum, estrangeiro comerá dela, mas todo escravo comprado por dinheiro, depois que o houveres circuncidado, comerá dela. O forasteiro e o assalariado não comerão dela.

Novamente Deus mostra que aceita totalmente a escravidão e ainda determina um tratamento especial aos escravos.

Êxodo 21:1-6
Estes são os estatutos que lhes proporás: Se comprares um servo hebreu, seis anos servirá; mas ao sétimo sairá forro, de graça. Se entrar sozinho, sozinho sairá; se tiver mulher, então com ele sairá sua mulher. Se seu senhor lhe houver dado uma mulher e ela lhe houver dado filhos ou filhas, a mulher e os filhos dela serão de seu senhor e ele sairá sozinho. Mas se esse servo expressamente disser: “Eu amo a meu senhor, a minha mulher e a meus filhos, não quero sair forro”, então seu senhor o levará perante os juizes, e o fará chegar porta, ou ao umbral da porta, e o seu senhor lhe furará a orelha com uma sovela; e ele o servirá para sempre.

Aí Yavé ensina como se tornar escravo para sempre e mostra que é completamente aceitável separar escravos de suas famílias. Deus também endossa a marcação de escravos através de mutilação.

Êxodo 21:20-21
Se alguém ferir a seu servo ou a sua serva com pau, e este morrer debaixo da sua mão, certamente será castigado, mas se sobreviver um ou dois dias, não será castigado; porque é dinheiro seu.

Nâo só Deus perdoa a escravidão, como ele também aceita que se espanque seus escravos, contanto que não os mate.  Eles se equiparam aos animais de serviço.

Êxodo 21:32
Se o boi escornear um servo, ou uma serva, dar-se-á trinta siclos de prata ao seu senhor, e o boi será apedrejado.

Além de consentir com a escravidão, Deus coloca um valor nos escravos: 30 siclos de prata.  E condena um animal da mesma forma que condena uma pessoa.

Levítico 22:10-11
Também nenhum estranho comerá das coisas sagradas; nem o hóspede do sacerdote, nem o jornaleiro, comerá delas. Mas aquele que o sacerdote tiver comprado com o seu dinheiro, e o nascido na sua casa, esses comerão do seu pão.

Aqui Deus mostra que filhos de escravos também são escravos, e consente completamente com este conceito.

Levítico 25:44-46
E quanto aos escravos ou escravas que chegares a possuir, das nações que estiverem ao redor de vós, delas é que os comprareis. Também os comprareis dentre os filhos dos estrangeiros que peregrinarem entre vós, tanto dentre esses como dentre as suas famílias que estiverem convosco, que tiverem eles gerado na vossa terra; e vos serão por possessão. E deixá-los-eis por herança aos vossos filhos depois de vós, para os herdarem como possessão; desses tomareis os vossos escravos para sempre; mas sobre vossos irmãos, os filhos de Israel, não dominareis com rigor, uns sobre os outros.

Aí, Deus determina onde você pode comprar seus escravos e especifica claramente que escravos são propriedades para serem comprados, vendidos ou dados.

Lucas 7:2-10
E um servo (escravo) de certo centurião, de quem era muito estimado, estava doente, quase morto. O centurião, pois, ouvindo falar de Jesus, enviou-lhes uns anciãos dos judeus, a pedir-lhe que viesse curar o seu servo. E chegando eles junto de Jesus, rogavam-lhe com instância, dizendo: É digno de que lhe concedas isto, porque ama nossa nação, e ele mesmo nos edificou a sinagoga.

Ia, pois, Jesus com eles; mas, quando já estava perto da casa, enviou o centurião uns amigos a dizer-lhe: Senhor, não te incomodes; porque não sou digno de que entres debaixo do meu telhado; por isso nem ainda me julguei digno de ir tua presença; dize, porém, uma palavra, e seja o meu servo curado. Pois também eu sou homem sujeito autoridade, e tenho soldados sob minhas ordens; e digo a este: Vai, e ele vai; e a outro: Vem, e ele vem; e ao meu servo: Faze isto, e ele o faz
.

Jesus, ouvindo isso, admirou-se dele e, voltando-se para a multidão que o seguia, disse: Eu vos afirmo que nem mesmo em Israel encontrei tamanha fé. E voltando para casa os que haviam sido enviados, encontraram o servo com saúde.

Aqui Jesus mostra que também está à vontade com o conceito de escravidão. Jesus cura os escravos sem cogitar livrar o escravo ou punir o seu dono.

Colossenses 3:22-23
Vós, servos, obedecei em tudo a vossos senhores segundo a carne, não servindo somente vista como para agradar aos homens, mas em singeleza de coração, temendo ao Senhor. E tudo quanto fizerdes, fazei-o de coração, como ao Senhor, e não aos homens

Aí o mestre cristãos, que se diz inspirado por esse deus, mostra que ele aceita a de escravidão e encoraja escravos a trabalharem duro.

Tito 2:9-10
Exorta os servos a que sejam submissos a seus senhores em tudo, sendo-lhes agradáveis, não os contradizendo nem defraudando, antes mostrando perfeita lealdade, para que em tudo sejam ornamento da doutrina de Deus nosso Salvador.

Mais uma vez Deus mostra que está completamente de acordo com a escravidão.  Deus ama a escravidão.

Se a Bíblia foi escrita por Deus e por homens por ele inspirado, e essas são as palavras do Senhor, então só se pode chegar a uma única conclusão: Deus é um defensor apaixonado da escravidão e não acha nada injusto nisso.

Como se pode ver, essas passagens nos mostram uma imensa contradição:

Por um lado, todos nós sabemos que a escravidão é um ultraje e uma abominação moral. Como resultado, escravidão é hoje completamente ilegal no nosso mundo desenvolvido.  Por outro lado, a grande maioria dos cristãos clamam que a Bíblia veio de Deus. Na palavra de Deus, o “criador do universo” deixa claro que escravidão é perfeitamente aceitável. Espancar seus escravos é algo normal. Escravizar crianças também. Separar escravos de suas famílias é um direito do senhor. De acordo com a Bíblia, deveríamos estar praticando escravidão até hoje.

Se Deus existisse, fosse perfeito, justo e bom como dizem, e se estivesse gerenciando qualquer regra deste planeta, ele eliminaria esta conexão entre ele mesmo e a escravidão. Não há como amar um Deus defensor da escravidão.

Você, como um ser humano racional, sabe que escravidão é uma prática de povos bárbaros, inaceitável na civilização moderna. É por isso que cada uma das nações do nosso mundo tornou a escravidão um ato ilegal. Seres humanos fizeram a escravidão ilegal, desafiando diretamente a palavra de Deus, porque sabemos com completa certeza que escravidão é uma abominação.

O que seu bom senso lhe diz agora sobre a Bíblia apoiar a escravidão tanto no Antigo como no Novo Testamento? Dado o fato que a Bíblia claramente aceita a escravidão, seu bom senso deveria lhe estar dizendo que Deus não existe; que ele é apenas o produto do pensamento daquele povo bárbaro que considerava os estrangeiro indignos de respeito.
 

Entendendo as Desculpas

Um religioso pode dizer: "Bem, todos estes versos do Antigo Testamento não se aplicam mais por causa de Jesus". Esta linha de raciocínio nos cria mais questões. Por que então o Antigo Testamento continua a ser impresso na Bíblia se Jesus o revogou? Por que o deus dos judeus, sendo o mesmo deus dos cristãos, iria nos dizer para bater em escravos?

O ponto mais importante desta linha de argumentação é que ela esquece que Jesus especifica que as leis do Antigo Testamento continuam valendo. Em Mateus 5:17-20, Jesus diz:

Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido. Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus. Pois eu vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus.

De acordo com Jesus, o Antigo Testamento está vivo e bem. De acordo com Isaías 40:8 "Seca-se a erva, e murcha a flor; mas a palavra de nosso Deus subsiste eternamente." A noção de que o Antigo Testamento não se aplica mais é completamente falsa de acordo com a Bíblia. Cristãos imaginam que elas “não se aplicam mais” como uma forma de desculpar sua religião.

Outros religiosos dirão que Deus não escreveu as passagens sobre escravidão na Bíblia. A Bíblia teria sido de alguma forma alterada por escravocratas. Neste caso, a questão óbvia a se perguntar é esta: se a Bíblia foi alterada, como poderemos saber quais partes dela vieram de Deus e quais partes foram inseridas por homens primitivos? Não há nenhuma maneira de saber como.

É quando você começa a pensar na Bíblia desta maneira que você entende uma coisa importante sobre a Bíblia: ou ela toda é realmente a palavra de Deus, ou a Bíblia toda foi escrita por pessoas primitivas que não tiveram nenhuma inspiração divina. Aqui está a razão para esta linha divisória tão forte:

Se partes da Bíblia vieram de Deus e partes vieram de homens primitivos, você não sabe qual é qual. Você não sabe se Jesus realmente ressuscitou, ou se esta parte foi acrescentada por homens primitivos. Como saber se um deus escreveu mesmo os dez mandamentos? Se qualquer parte da Bíblia tiver sido alterada por homens primitivos, você precisa rejeitá-la toda. Não há como saber quem escreveu o quê, então o livro inteiro não vale nada.

Não há mesmo meio-termo. Ou a Bíblia veio de Deus, ou não veio. Por isso, somente há duas explicações para as passagens bíblicas na Bíblia:

A Bíblia está certa, e Deus ama a escravidão. A Bíblia inteira é a palavra de Deus, então essas passagens sobre escravidão devem ser as palavras de Deus também. As leis de todos os países do mundo que dizem que escravidão é ilegal desafiam a palavra de Deus. Uma pessoa que prega os 10 Mandamentos também deve apoiar a escravidão.


A Bíblia endossa a escravidão porque ela foi escrita por escravocratas, e não por Deus. Ou Deus não existe.

A primeira hipótese é muito plausível, pois um deus perfeito, justo e bom nunca apoiaria a abominação que é a escravidão.  E, se a Bíblia é criação de homens bárbaros, podemos concluir que o deus da Bíblia é simplesmente o produto do pensamento primitivo de um grupo de terroristas que conquistaram um pedaço de terra e se convenceram de que essa terra e seus arredores lhe pertenciam por concessão concessão divina.

 

Ver mais MALEFÍCIOS DA RELIGIÃO

 

 

..

.