BÍBLIA NÃO RESTRINGE CASAMENTO A HETEROSSEXUAIS?!

 

Pesquisadores afirmam que a Bíblia não restringe o casamento apenas a casais heterossexuais.  Mas, ao que parece, eles estão pesquisando com a finalidade de defender a homossexualidade com a Bíblia, o que me parece impossível.

 

Pesquisadores afirmam que a Bíblia não restringe o casamento apenas a casais heterossexuais e causam polêmica
Publicado por Tiago Chagas em 11 de junho de 2013

A interpretação tradicional de que o casamento bíblico é estritamente para casais heterossexuais está sendo questionada por um grupo de estudiosos do Estado norte-americano de Iowa.

Um artigo publicado pelo grupo num jornal local diz que a Bíblia não restringe o casamento à união entre um homem e uma mulher. Os pesquisadores Hector Avalos, Robert R. Cargill e Kenneth Atkinson, responsáveis pelo artigo, são professores nas faculdades Iowa State University, University of Iowa e University of Northern Iowa, respectivamente.

Um trecho do texto diz que “o debate sobre a igualdade no casamento muitas vezes é centrado num apelo à Bíblia”,e segundo os autores, “infelizmente, tais apelos, muitas vezes refletem uma falta de conhecimento bíblico por parte daqueles que usam esse complexo conjunto de textos como uma autoridade para definir a política social moderna”.

Os pesquisadores afirmam que a definição bíblica de casamento pode ser confusa e até contraditória, e que o principal exemplo dessa possibilidade é a postura defendida pela Bíblia no Velho Testamento a respeito da poligamia, prática adotada por Abraão, Davi e Salomão, entre outros.

Avalos, Cargill e Atkinson defendem a ideia de que a Bíblia não menciona apenas a monogamia tradicional como opção, mas também a castração autoinfringida, o celibato, e até o casamento de vítimas de estupro com seus abusadores.

O professor Cargill disse numa entrevista ao Huffington Post que a proposta do artigo de questionamento a respeito do casamento tradicional é que ele seja uma “resposta educada” para a afirmação de que a Bíblia restringe a união de pessoas a casais hetero.

Segundo o professor, “é óbvio para os estudiosos, e até alguns líderes religiosos, que a Bíblia defende uma ampla gama de relacionamentos”. Cargill observou, no entanto, que os pesquisadores estão ‘aterrorizados’ com o potencial de reação que essa afirmação causar, mas que mesmo assim, sua constatação é de que o “argumento contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo é totalmente insustentável na Bíblia”.

“Nós todos sabemos disso, mas muito poucos estudiosos estão falando sobre isso, porque eles não querem polêmica”, disse. “A maioria das pessoas não são idiotas, eles querem tomar uma decisão informada”, concluiu.

Diversos veículos de imprensa nos Estados Unidos e em países de língua espanhola repercutiram as declarações dos professores. O site Acontecer Cristiano estampou a notícia com a manchete “Inacreditável”.

Como reação, a congressista norte-americana Michelle Bachmann, do Partido Republicano, convocou os cristãos a “embarcarem numa guerra espiritual contra o fenômeno” do casamento gay.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

http://noticias.gospelmais.com.br/pesquisadores-biblia-restringe-casamento-heterossexuais-55236.html

 

A razão de toda a polêmica sobre casamento é o fato de a Bíblia não ser aquele todo harmônico que os crentes pensam que seja.  Os antigos hebreus eram polígamos e, por alguns relatos a respeito de Davi e Jônatas, se nota que a homossexualidade também não era o tabu que se tornou com o judaísmo mosaico.  E a poligamia era prática defendida pela lei mosaica. 

 

E a confusão maior se faz quando se pensa que a lei de Moisés existiu desde séculos antes do reino de Judá, o que é um engano.   A Lei de Moisés só apareceu na reforma do templo feita por Josias.  Antes dessa época, judeus e israelitas não conheciam uma lei escrita por um profeta chamado Moisés.  Basta verificar que Josias mandou celebrar a páscoa e disse que essa páscoa não era celebrada "desde os dias dos juízes que julgaram a Israel, nem em todos os dias dos reis de Israel, nem tampouco nos dias dos reis de Judá” (II Reis, 23: 22).  Esse livro da lei, segundo análises isentas, veio a existir a partir da reforma do templo.   Ver ORIGEM DA BÍBLIA.

 

POLIGAMIA - O preceito "não tomarás uma mulher juntamente com sua irmã, durante a vida desta, para tornar-lha rival, descobrindo a sua nudez ao lado da outra." (Levíticos, 18:18) deixa claro.  O homem podia legalmente ter mais de uma mulher, contanto que não fossem irmãs.  E, no cristianismo, a única menção que temos é que o ministro religiosos deveria ser "marido de uma só mulher", (I Timóteo, 3: 2), o que não significa que qualquer cristão não possa ter mais de uma mulher.

 

HOMOSSEXUALIDADE:  “Angustiado estou por ti, meu irmão Jônatas; tu eras amabilíssimo para comigo! Excepcional era o teu amor, ultrapassando o amor de mulheres.” (2 Samuel 1.26).  Os religiosos argumentam que isso não podia referir-se a amor sexual, porque isso está proibido na lei em Lv 20.13; 18.22.  Mas eles só não levam em conta que essa lei não era conhecida até os dias da reforma do templo por Josias.  Davi e Jônatas não conheciam uma lei de Moisés, tanto que Josias disse que a páscoa não era celebrada "desde os dias dos juízes que julgaram a Israel, nem em todos os dias dos reis de Israel, nem tampouco nos dias dos reis de Judá” (II Reis, 23: 22).  E, se a páscoa não era celebrada, não era conhecida, assim como o resto da lei.

 

Quanto à lei mosaica, não resta dúvida, a prática da homossexualidade era digna de pena de morte (Levíticos, 20:13), sendo um contrassenso falar em permissão de casamento.  E o Cristianismo, embora tenha deixado de lado muitos preceitos da lei mosaica, manteve condenação da homossexualidade como uma abominação. Essa foi a observação do principal apóstolo cristão: "semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para como os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a devida recompensa do seu erro." (Romanos, 1; 27).

 

O que se pode deduzir com um estudo isento é que, embora não esteja tão claro, Davi e Jônatas podem ter tido um relacionamento homoafetivo, uma vez que em seus dias não era conhecido o livro da lei.  Mas, depois da adoção da lei de Moisés, casamento entre pessoas do mesmo sexo, isso jamais foi cogitado como lícito na Bíblia.  Poligamia nunca foi condenada; mas a homossexualidade era uma abominação para o judaísmo e também para o Cristianismo.

 

Ver mais  RELACIONAMENTO RELIGIOSO

 

..

.