AS CINCO MAIORES EPIDEMIAS DA HISTÓRIA

 

Conheça as 5 maiores pandemias da história, que foram consideradas sinal da proximidade da volta de Jesus


"O coronavírus não é o primeiro causador de pandemias mundiais. Relembre outras doenças que mudaram os rumos da história da humanidade
Letícia Rodrigues*
29 Mar 2020 - 09h45 Atualizado em 30 Mar 2020 - 08h43
 


Policiais de Seattle vestindo máscaras cirúrgicas durante a pandemia de 1918

(Foto: Wikimedia Commons)
 

A pandemia do novo coronavírus está causando medo em todo o mundo — é não é para menos. O vírus causador da Covid-19 já infectou mais de 500 mil pessoas em centenas de países, com milhares de casos mortais.

O cenário é semelhante ao que já aconteceu em outros momentos da humanidade, em que doenças se espalharam pelo mundo e causaram estragos. Conheça as principais pandemias que assolaram o planeta.
saiba mais
"Ninguém gosta de ficar isolado, mas vamos sobreviver", diz autor sobre pandemia
54,8% dos casos importados de Covid-19 para o Brasil vieram da Itália

1. Peste bubônica

[Século IV]

A peste bubônica é causada pela bactéria Yersinia pestis e pode se disseminar pelo contato com pulgas e roedores infectados. Seus sintomas incluem inchaço dos gânglios linfáticos na virilha, na axila ou no pescoço. Outros sintomas são febre, calafrios, dor de cabeça, fadiga e dores musculares. A doença é considerada, historicamente, a causadora da Peste Negra, que assolou a Europa no século 14, matando entre 75 e 200 milhões pessoas na antiga Eurásia. No total, a praga pode ter reduzido a população mundial de 450 milhões de pessoas para 350 milhões.

 

Os médicos que tratavam a Peste Negra eram chamados de Médicos da Peste

(Foto: Wikimedia Commons)

 

2. Varíola


A doença atormentou a humanidade por mais de 3 mil anos. O faraó egípcio Ramsés II, a rainha Maria II da Inglaterra e o rei Luís XV da França tiveram a temida “bixiga”. O vírus Orthopoxvírus variolae era transmitido de pessoa para pessoa, por meio das vias respiratórias. Os sintomas eram febre, seguida de erupções na garganta, na boca e no rosto. Felizmente, a varíola foi erradicada do planeta em 1980, após campanha de vacinação em massa.

3. Cólera


Sua primeira epidemia global, em 1817, matou centenas de milhares de pessoas. Desde então, a bactéria Vibrio cholerae sofre diversas mutações e causa novos ciclos epidêmicos de tempos em tempos e, portanto, ainda é considerada uma pandemia.

Sua transmissão acontece a partir do consumo de água ou alimentos contaminados, e é mais comum em países subdesenvolvidos. Um dos países mais atingidos pela cólera foi o Haiti, em 2010. O Brasil já teve vários surtos da doença, principalmente em áreas mais pobres do nordeste. No Iêmen, em 2019, mais de 40 mil pessoas morreram devido à enfermidade..

Os sintomas são diarreia intensa, cólicas e enjoo. Apesar de existir vacina contra a doença, ela não é 100% eficaz. O tratamento é à base de antibióticos.
saiba mais
Quem foi Vital Brazil, um dos pioneiros no desenvolvimento de soros antiofídicos
Aquecimento global piora doenças, diz membro dos Médicos Sem Fronteiras

4. Gripe Espanhola


Acredita-se que entre 40 e 50 milhões de pessoas tenham morrido na pandemia de gripe espanhola de 1918, causada por um vírus influenza mortal. Mais de um quarto da população mundial na época foi infectada e até então presidente do Brasil, Rodrigues Alves, morreu da doença, em 1919. O vírus veio da Europa, a bordo do navio Demerara. O transatlântico desembarcou passageiros infectados no Recife, em Salvador e no Rio de Janeiro.

Os sintomas da doença eram muito parecidos com o atual coronavírus Sars-CoV-2, e não existia cura. Em São Paulo, a população foi atrás de um remédio caseiro feito com cachaça, limão e mel. De acordo com o Instituto Brasileiro da Cachaça, foi dessa receita supostamente terapêutica que nasceu a caipirinha.
Jornal do Recife com a manchete sobre a chegada do navio ao Brasil (Foto: Biblioteca Nacional)

Jornal do Recife com a manchete sobre a chegada do navio ao Brasil (Foto: Biblioteca Nacional)

5. Gripe Suína (H1N1)
Conhecida como gripe suína, o H1N1 foi o primeiro causador de pandemia do século 21. O vírus surgido em porcos no México, em 2009, e se espalhou rapidamente pelo mundo, matando 16 mil pessoas. No Brasil, o primeiro caso foi confirmado em maio daquele ano e, no fim de junho, 627 pessoas estavam infectadas no país, de acordo com o Ministério da Saúde.

O contágio acontece a partir de gotículas respiratórias no ar ou em uma superfície contaminada. Seus sintomas são os mesmos de uma gripe: febre, tosse, dor de garganta, calafrio e dor no corpo.

*Com supervisão de Luiza Monteiro

<https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Saude/noticia/2020/03/conheca-5-maiores-pandemias-da-historia.html>

 

Para os religiosos, todas essas epidemias foram o aviso da chegada do fim do mundo.

 

Atualmente, vídeos circulam pela internet tentando convencer que a Covid-19 é realmente sinal do fim do mundo diferentemente das outras.

 

Depois dessa, virão outras, e as outras continuarão sendo aviso da volta de Jesus e do fim do mundo.

 

Ver SANDICES RELIGIOSAS

 

..

.