.

COMO SE FORMARAM TANTAS COISAS COMPLEXAS -- 08/01/2003

.

Esta é uma carta que recebi, cuja resposta segue abaixo. Troquei o nome da pessoa aqui por xxx, para não a expor.


"Olá!!!Me chamo xxx, e quero te dizer que gosto muito das suas idéias,das suas opiniões à respeito desses acontecimentos universais, mas também quero falar-lhe que por mais que pensamos ou somos induzidos à pensar que o mundo surgiu de uma explosão, como pode uma explosão criar algo, se todas as explosões tem o intuito de destruir o seu alvo? Sou a favor de você em muitos aspectos do seus textos, quer dizer achei você um cara muito cabeça, porém acho uma ignorância o homem crer que Deus não exista. Um exemplo que posso te citar ,você ver o oxigênio? é obvío que não, mas você sabe que ele existe, não sabe? Assim é Deus. O homem tem sim errado muito ao misturar Deus,religião ,com poder,dinheiro e ,além disso, pregado um evangelho da prosperidade,da salvação pelas obras,mas isso não quer dizer que ele não exista,pelo contrário o homem em si nunca respeitou nem à casa de Deus muito menos as suas palavras ,não podemos esquecer que além da sabedoria humana existe uma sabedoria infinita e deslumbrante que é a do nosso criador.Um abraço no seu coração. xxx"

Prezada xxx,

Entendo, é difícil mesmo entender quando se imagina de uma explosão vir a surgir um monte de coisas bem ordenadas. Mas existe explicação. O inexplicável é conseguir tirar o complexo de onde não se pode tirar o simples, como fazem os teóricos do projeto inteligente. Ademais, o fato não é simplesmente uma explosão e uma organização imediata dos fragmentos.

Primeiramente, se você ler cada texto do meu RESUMO TEOLÓGICO, você encontrará uma farta gama de razões que encontrei para chegar à conclusão de que a Bíblia foi uma criação humana em um tempo bastante atrasado, levando os hebreus a idealizarem um deus injusto e muito limitado.

A questão da evolução é que parece um pouco mais complexa, porque a ciência ainda não tem resposta para tudo. Entretanto, o fato de não haver explicação para tudo não significa que esteja errado o que já foi explicado. Mas a existência da evolução já é um fato inegável. Veja: CRIAÇÃO OU EVOLUÇÃO, GRANDE DARWIN! QUEM PODERÁ CONTESTÁ-LO? e POR QUE ACREDITAMOS MAIS EM DINOSSAUROS.

Se uma bactéria, ao ser atingida por um medicamento aplicado em dose insuficiente para destruí-la, sofre mutações que a tornam mais resistente, e o fato chega a ser perceptível em menor escala nos insetos, surgindo gerações menos vulneráveis aos inseticidas, isso é um testemunho da evolução biológica.

Além disso, a existência de uma linha de fósseis que se tornam mais simples à medida que se avança para o passado, ainda que incompleta, conta-nos que no passado os seres não eram como os de hoje, apontando para a transformação biológica pregada por Darwin.

Ainda que não tenha meio para explicar como isso ocorreu, eu não poderia simplesmente negar o ocorrido. Se está diante dos meus olhos, eu tenho que admiti-lo ainda que não o entenda. Esse é o meu modo de ver as coisas.

Mas ainda não esclareci nada sobre a sua maior dúvida: como pode dos destroços de uma explosão surgir vida e organismos aperfeiçoados como o nosso e mesmo dos simples micróbios.

Acho bem mais simples admitir que de uma reação química tenha surgido uma proteína, e dessa proteína tenha posteriormente originado algo mais e em bilhões de anos se tenham formado organismos como os nossos, do que do nada surgir um ser perfeito e onipotente, para criar todas essas coisas. Ademais, a paleontologia mostra que não foi tudo criado de uma só vez com todas as características existentes hoje. Isso aí é um grande dado concreto a favor da teoria da evolução.

As análises telescópicas nos mostra que todo o universo está em constante expansão, indicando que um dia tudo deve ter estado reunido em um só lugar. Esse é o fundamento da grande explosão. Não há como pensar de outra forma.

Inicialmente, tudo era como lava de vulcão a se expandir por todos os lados. Grande aglomerados de partículas formaram estrelas, cujo interior continua em constante fusão nuclear, resultando o brilho que vemos. O nosso Sol é uma das estrelas, com um milhão e meio de vezes o tamanho da Terra. Outras reuniões menores foram formando corpos sem fusão nuclear, como os planetas, os satélites, os cometas e asteróides. A física explica que a densidade de uma estrela atrai planetas, que ficam a gravitar em seu redor, o que ocorreu com o nosso astro, que gira em torno do Sol. O interior de um planeta é composto de material incandescente, mas só um corpo com no mínimo vinte e seis mil vezes o tamanho da Terra é capaz de produzir fusão nuclear para gerar o brilho estelar. Por isso, nem um grande planeta como Júpiter foi capaz de se tornar uma estrela.

Dos vários planetas do nosso sistema, dadas as distâncias entre eles e o Sol, só a Terra formou condições propícias à vida. Os planetas de órbitas mais interiores atingem temperaturas extremamente altas, capazes de fritar qualquer ser vivo daqui que for colocado lá.

Os planetas de órbitas mais exteriores têm temperaturas extremamente baixas, tão mais baixa quanto mais externa sua órbita.

Assim, deixando de lado a possibilidade de existir vida em outros planetas em outros sistemas, vamos pensar na vida existente no nosso.

Comecemos com uma proteína bem simples resultante de alguma reação química dos elementos existentes. É fato indiscutível que tudo que compõe o nosso corpo é elemento existente na natureza.

Um vírus, por exemplo, é algo tão simples em comparação com qualquer outro organismo, que nem se classifica no reino animal. Até as bactérias, que já são células com várias organelas desempenhando múltiplas funções, geram dúvida em relação ao reino animal e o vegetal. Chama-se de protozoário um organismo unicelular bem mais complexo do que a bactéria. A bactéria é uma célula procariota, isto é, sem núcleo, e o protozoário já é uma célula eucariota, ou seja, possui núcleo.

Esses começos de vida, no decorrer de bilhões de anos, sintetizando material e se dividindo, resultando em novas células, sofreram variações.

Afirma-se que, na grande maioria das vezes, uma mutação traz perda em vez de ganho, e admito que sim. Mas, se em mil acidentes um resulta em um benefício e esse benefício leva à seleção de seres mais aperfeiçoados, pense em bilhões de anos de pequenos aperfeiçoamentos. De protozoários surgiram vermes, desses se chegou a organismos maiores como moluscos, depois maiores invertebrados, desses vindo a surgir vertebrados, etc.

Quaisquer explicações de que esses melhoramentos são impossíveis de ocorrer esbarra num fato: A PALEONTOLOGIA MOSTRA ORGANISMOS MAIS SIMPLES EM PASSADO REMOTO E MAIS COMPLEXOS EM TEMPOS MAIS RECENTES. PODEMOS NÃO TER EXPLICAÇÃO DESSE PROCESSO, MAS NÃO SE PODE NEGAR QUE ELE TENHA OCORRIDO. Têm surgido alguns cientistas lançando toda espécie de dúvida possível contra a evolução, mas todas essas tentativas têm-se mostrado nada mais do que tendências de defender posições religiosas. Dizer que a teoria da evolução não explica tudo está certo. Mas negar o que já temos de concreto por causa do que ainda não conseguimos entender não é bem racional. A religião também não explica tudo. Ela diz que tudo só pode ser obra de um criador perfeito e onipotente. Mas que explicação lógica teria para vir a existir do nada esse criador perfeito, quando ela não admite ser possível surgir sequer uma proteína por acaso. De onde não pode surgir o pouco pode surgir o muito?

"De acordo com o projeto genoma, a evolução não é mais uma teoria. Através do estudo do DNA, a molécula nas células de todos os seres vivos que armazena o código hereditário, consegue-se mensurar o grau de parentesco entre as espécies. Embora ainda não se tenha identificado exatamente qual foi o ancestral comum do homem, uma vez que seus ossos ainda não foram achados, há uma profusão de fósseis de seus descendentes compondo uma escada evolucionária que chega até nós. Os personagens nessa escalada evolutiva são os seguintes:
Australopitecus afarensis, espécie de hominídeo que viveu há 3,5 milhões de anos, na África, e já andava em pé.

Homo erectus, cujos restos existem na África e na Ásia, os primeiros ancestrais do homem a usar pedras como ferramentas, há dois milhões de anos.

Neanderthais, seres maiores e mais fortes que nós, que habitaram a Europa e a Ásia entre 200 mil anos e 40 mil anos atrás. Apesar de possuírem uma caixa craniana maior que a nossa, faltava alguma coisa muito importante para torná-los humanos, provavelmente a fala, atributo dos Homo sapiens, que evoluíram na África há pouco mais de 100 mil anos. De lá saíram para povoar o planeta." (http://www.consciesp.org.br/adao_e_eva_versus_charles_darwin.htm).

As coisas que nos foram ensinadas desde a infância parecem mais verdadeiras do que coisas novas, mas eu analisei friamente sem tentar defender um ou outro lado e cheguei às conclusões que estão no meu RESUMO TEOLÓGICO. Eu comecei a ver lógica na teoria da evolução exatamente ao ler um livro que tentava provar o contrário.

Um abraço,
Freitas

Ver mais PREVISÕES DO FUTURO

..