EDUCAR NA VARA

 

A Bíblia, teoricamente, limita a violência a não matar o filho. Mas essa educação violenta além de traumatizar pode matar também.

 

Livro cristão de educação infantil é responsável por fazer pelo menos três pais matarem seus filhos
Posted: 10 Nov 2011 08:54 AM PST



Cristãos tendem a ter os piores conselhos sobre qualquer coisa, mas em educação infantil vem no topo da lista. A Bíblia não só ensina como incentiva o castigo corporal, dando detalhes do que usar como tamanho e consistência da vara.

Quem poupa a vara odeia seu filho. Quem o ama, castiga-o na hora precisa. — Provérbios 13:24

Como se isso já não fosse ruim o bastante, crentes evangélicos como os pastores Michael Pearl e Debi Pearl escrevem livros inteiros dedicados à prática de espancamento de crianças. O livro desses dois tem o singelo nome “To Train Up A Child” (Como educar uma criança).

E como se bater nas crianças já não fosse algo considerado questionável hoje em dia, os crentes que compram esse livro estão com um pequeno problema que se chama “castigar a criança até morrer de inanição ou de perda sanguínea”.

O New York Times deu a notícia:

Em Maio, Hana Williams, que foi adotada aos 11 anos, foi encontrada de bruços, despida e emaciada (termo suave para magreza extrema causada por inanição) no quintal dos fundos de sua casa em Sedro Wooley, Washington. Sua morte foi causada por hipotermia e subnutrição, de acordo com o legista, e um relatório do cherife disse que ela apanhava com frequência, inclusive no dia da morte. A mãe de Hana elogiou o livro “To Train Up a Child” e deu uma cópia a um amigo, de acordo com o relatório.

Existem mais casos de mortes atribuídos aos pais de crianças portadores do livro do Michael Pearl.

Lydia Schatz, de 7 anos, adotada da Libéria quando tinha 4, morreu em Paradise, Califórnia, em 2010. Seus pais Kevin e Elizabeth Schatz a açoitaram por horas a fio, parando apenas para rezar. Ela morreu de dano tecidual grave e sua irmã teve de ser hospitalizada. Os Schatz tinham 9 crianças, 3 adotadas, e estão na cadeia, servindo longas penas ao se declararem culpados por assassinato em segundo grau, tortura e punição corporal ilegal.

Lynn Paddock, do Condado de Johnson, Carolina do Norte, foi condenada por assassinato em primeiro grau de Sean Paddock, 4 anos, em 2006. Sean morreu sufocado depois de ser embrulhado em um cobertor bem apertado. Os Paddocks adotaram 6 crianças americanas, provavelmente para ganhar dinheiro do seguro social, e usaram os métodos descritos pelo Pearl para educar as crianças. As crianças testemunharam na corte que eles apanhavam diariamente com uma mangueira que possui as exatas propriedades do livro.

O livro ensina os pais a aumentarem a gravidade dos açoites caso não obtenham os resultados desejados, e que a criança deve sempre ter um semblante feliz, fazendo com que as crianças sejam punidas por parecerem tristes. Mas o pior é que o livro se diz um guia moral baseado na Bíblia, implicando que os pais devem seguir o que está escrito nele se quiserem ser bons cristãos.

O pastor Michael Pearl e sua esposa não voltam atrás. “Desistir de usar a vara é desistir de nossa visão da natureza humana, Deus, e eternidade”, diz o velho barbudo...

http://ateusdobrasil.com.br/p/36143/
 

O provérbio do livro sagrado diz:  “Corrige teu filho enquanto há esperança, mas não te enfureças até fazê-lo perecer.” (Provérbios, 19:18). O limite da violência é só não matar. Mas esse limite algumas vezes é ultrapassado, como vimos aí.
 

Ver mais em A BÍBLIA E EDUCAÇÃO VIOLENTA

 

Ver mais RELACIONAMENTO RELIGIOSO

 

..

.