ESTADO ISLÂMICO NO BRASIL

 

Grupo de muçulmanos ligados ao Estado Islâmico é encontrado pela Polícia Federal no Brasil
Publicado por Tiago Chagas em 9 de setembro de 2015

Uma operação da Polícia Federal terminou com a prisão de três integrantes de um grupo associado ao Estado Islâmico. Os libaneses Firas, Fadi e Toufic Allameddin, todos irmãos, foram detidos em São Paulo (SP).

Os três integravam uma quadrilha de lavagem de dinheiro e falsificação de documentos, além de usarem nomes falsos. A PF confirmou que eles são considerados suspeitos de seguirem o Estado Islâmico.

Os irmãos Allameddin mantinham negócios com o egípcio Hesham Eltrabily, de quem Firas foi sócio em uma loja de roupas chamada Nuclear Jeans, segundo informações da revista Época.

Hesham Eltrabily está radicado no Brasil desde 2002, quando fugiu do Egito. Em seu país natal, ele é acusado de ter participado de um atentado terrorista em 1997, que tirou a vida de 62 pessoas.

Quando as autoridades egípcias souberam de seu paradeiro, solicitaram a extradição, mas o Supremo Tribunal Federal (STF) negou o pedido alegando que não existiam provas suficientes de sua participação no atentado.

A PF aponta que a quadrilha dos Allameddin e Eltrabily movimentou cerca de R$ 50 milhões em suas atividades ilícitas. Parte desse valor foi enviado ao Líbano através de uma corretora e uma casa de câmbio clandestina.

A operação que resultou na prisão dos irmãos Allameddin, chamada de Mendaz, foi acompanhada pela Embaixada dos Estados Unidos e por investigadores do FBI. No local onde os libaneses foram presos, a PF precisou arrombar 14 cadeados que estavam no portão de ferro. Os policiais compararam o local a um bunker, pois tinha cercas de arame farpado e câmeras em todas as partes.

Nas redes sociais, pessoas ligadas à quadrilha faziam publicações com apologia ao Estado Islâmico. Um texto publicado por um irmão de Firas Allameddin pregava a perpetuação do grupo terrorista: “Morra de inveja! O Estado Islâmico vai ficar para sempre e vai se espalhar”. Em outro perfil, a foto do usuário era de um crime cometido pelos extremistas, com corpos carbonizados.
 

Essa operação que prendeu os suspeitos de integrarem o Estado Islâmico foi montada quando surgiu a suspeita, no começo de 2015, de que os terroristas estavam se organizando para recrutar pessoas e perpetrar um atentado no Brasil. Desde então, a PF vinha monitorando as atividades do grupo. Como as investigações correm sob sigilo, não há maiores informações sobre o grau de relacionamento desses estrangeiros com os extremistas.

http://noticias.gospelmais.com.br/muculmanos-ligados-estado-islamico-brasil-79058.html

 

 

"O EI (Estado Islâmico) estaria recrutando jovens no Brasil para executar atentados no país durante a Olimpíada de 2016, que reunirá no Rio atletas e turistas do mundo inteiro.

O objetivo da organização seria que esses brasileiros atuassem isoladamente, como “lobos solitários”, a exemplo do que ocorreu recentemente na Austrália e Canadá.

Por não terem ligação orgânica como o EI, os “lobos” não integram as listas internacionais de terroristas, o que dificulta o rastreamento de suas atividades.

O Estadão informou que a Casa Civil tem acompanhado a troca de informações entre os órgãos de inteligência sobre a possibilidade de o EI estar se concentrado em obter militantes na América do Sul, tendo em vista que o recrutamento ficou difícil na Europa por causa de maior repressão das autoridades.

Policiais europeus vieram ao Brasil em março para troca de informações.

.“Estado Islâmico: Reflexões para o Brasil” é um dos documentos confidenciais produzidos por órgãos de segurança do Brasil, como o Gabinete de Segurança Institucional, Polícia Federal e Agência Brasileira de Inteligência, além de instâncias do Ministério da Justiça.

Os órgãos de segurança do Brasil acharam conveniente acender desde já uma “luz amarela” por causa dos jogos olímpicos.

Eles estão monitorando a internet, que tem sido o principal meio de comunicação entre jihadistas e seus simpatizantes.

O jornal identificou na rede social pelo menos dez brasileiros muçulmanos tentando convencer sírios que moram no Brasil a reforçarem o Estado Islâmico. Esses sírios vieram de áreas conflagradas.

A vigília na internet não é ampla o quanto os órgãos da segurança nacional gostariam que fosse porque o Brasil não tem uma legislação antiterror.

Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados, disse ser possível votar rapidamente uma legislação de combate ao terror.

Com informação do Estado de S. Paulo.

http://www.paulopes.com.br/2015/03/estado-islamico-estaria-recrutando-brasileiros-para-atentado-no-pais.html

 

Inacreditável, mas é verdade.  Ainda existem muitos seres humanos que acha que existe um deus bom, justo, fiel, etc., e ao mesmo tempo esse deus manda sair torturando e matando pessoas, além de justificar outras espécies de crime. Sabemos que os religiosos do nosso país anda cometendo inúmeras fraudes por aí em nome da chamada verdade cristã. Mas, esses terrorista entrando em nosso meio é mais alarmante.

 

Ver mais O ISLAMISMO, O PERIGO

 

 

..

.