A FÚRIA DE ALÁ: A MAIOR AMEAÇA

 

Várias correntes religiosas, em suas expectativas apocalípticas, anunciam iminente perda da liberdade, imposta por um poder que dominará o mundo. Entre os possíveis dominantes mencionam o ressurgimento do poder papal, a união das igrejas protestantes com a Católica, um domínio político ateu, até mesmo o gênio da informática Bill Gates tem sido temido como o futuro assolador da liberdade mundial. É, todavia, estranho que ninguém se preocupe com o Islamismo, o sistema religioso mais propenso a injungir o mundo à observância de seus princípios de fé e que se tem expandido muito últimos anos.

 

Tendo como base a defesa de seus deuses, os faraós egípcios, os reis babilônios, entre outros, impunham seus princípios religiosos aos povos conquistados. Os hebreus, sob ordem de Jeová (Yavé), o deus criador de todas as coisas, efetivavam enormes matanças de gentios (a Bíblia afirma). Hoje, não obstante o maior grau civilizatório, conflitos religiosos são graves - haja vista os norte-irlandeses -, e não estamos totalmente seguros contra o domínio religioso. Os muçulmanos estão se multiplicando tanto, já superando em números os católicos e, os mais conservadores do mundo, extremamente fundamentas, só lhes falta poder político suficiente para se imporem.

 

"FUNDAMENTALISMO - conjunto de ideologias que veem nos fundamentos da religião a base para a organização da vida social e política (Almanaque Abril/1999, pág. 543).

 

"Fundamentalismo islâmico - Manifesta-se em movimentos empenhados na criação de sociedades regidas pelo Alcorão, livro sagrado do islamismo, e contrário aos modelos políticos e filosóficos ocidentais (como a separação entre Estado e Religião, a democracia e o individualismo)" (ibidem).

 

Olhando para alguns países dominados pelo poder islâmico, pode-se ter uma idéia do que seria seu domínio mundial.  No Afeganistão, por exemplo: "É grande o número de vítimas de flagelos e amputações, penalidades aplicadas àqueles que desrespeitam as rígidas leis islâmicas impostas pela milícia fundamentalista Taliban, que controla a maior parte do país" (idem, pág. 542).


O assombroso avanço do Islamismo ocorre nos países do terceiro mundo, sendo de pouca expressão nos países mais desenvolvidos. Mas isso não deixa de ser preocupante.

 

Não estou dizendo que os muçulmanos dominarão o mundo, nem tampouco desejaria que isso ocorresse. Contudo, acho que são eles, e não católicos, protestantes, ateus, ou qualquer outro tipo de poder, que ocupam posição relevante entre os possíveis assoladores mundiais.

 

No caso de isso ocorrer, mais uma vez razão será dada a Nostradamus, que escreveu:

 

"De fez, o reino se estenderá sobre todos os da Europa.  A cidade em chamas e a espada cortará; o grande homem vindo da Ásia com uma grande tropa por terra e mar, de modo que de azuis, persas, ele expulsará a cruz até sua morte.' Centúria VI, quadra 80" (Erika Cheetham, As Profecias de Nostradamus. pág. 340).
(João de Freitas, A Arriscada Pretensão de Saber o Futuro, 1999, págs. 163-167).

 

Escrevi esse texto em 1999.  Agora, com as investidas do Estado Islâmico em países europeus e a notícia de que os evangélicos estão reclamando que o cristianismo está sendo banido de alguns países de domínio muçulmano, lembrei-me do texto e da quadra de Nostradamus.  Se o mundo não tomar cuidado, essa predição poderá dar certo.  Torçamos para que não dê.  Vejam como está sendo executado o plano de dominar o mundo.

 

 Ver mais PREVISÕES DO FUTURO

..

.