HARMONIZANDO CONTRADIÇÕES

16/01/2010

 

As contradições bíblicas têm sido o maior quebra-cabeça para os religiosos, que dedicam muito tempo na tentativa de conseguir argumentos aceitáveis para invalidar essa falha inaceitável.  Argumentam que são "supostos erros e imprecisões" decorrentes de traduções ou até mesmo detalhes diversos, ainda que dos mais excludentes. 

 

"Contradições da Bíblia – Um empecilho para muitos céticos
As contradições da Bíblia, quer dizer, os supostos erros e imprecisões que enchem as traduções da Bíblia de hoje em dia, são um grande obstáculo intelectual para muitos céticos. É notável a forma como muitos críticos se referem a essa "lista" de contradições quando rejeitam a Bíblia, mas nunca foram capazes de ler a Bíblia por si mesmos. Claro que se a Bíblia tivesse imprecisões, isso só mostraria que essas partes da escritura não poderiam ter vindo de uma fonte Divina. No entanto, é muito conveniente acusar a Bíblia de erros e contradições, mas é uma questão totalmente diferente poder provar isso.

 

Contradições da Bíblia – Uma questão de Definição e Análise
As contradições da Bíblia devem ser analisadas sob as regras tradicionais da lógica e da razão. À primeira vista, certas partes da Escritura podem parecer contraditórias quando comparadas com outras escrituras, mas uma investigação mais aprofundada revela algo diferente. Primeiro, céticos razoáveis devem estar de acordo sobre a definição de uma contradição. "A Lei da não-contradição", a qual é a base de todo o raciocínio lógico, afirma que algo não pode ser "a" e "não-a" ao mesmo tempo. Por exemplo, não pode ser dia e noite ao mesmo tempo e no mesmo local. Portanto, se uma escritura bíblica infringe essa lei, ela tem sido estabelecida como uma contradição. No entanto, com base nessa mesma lei, duas afirmações podem ser diferentes sem estarem se contradizendo.

Por exemplo, uma testemunha em um processo judicial pode afirmar ter visto duas pessoas na cena de um crime, Jake e Sam, enquanto que uma outra testemunha pode afirmar ter visto apenas o Sam. Estas afirmações não são contraditórias. De fato, em um tribunal de justiça, estas declarações podem ser consideradas complementares. Essa é a natureza de muitas das supostas contradições na Bíblia. Por exemplo, em Mateus, lemos que Jesus encontrou dois homens cegos. Em Marcos e Lucas, lemos sobre o encontro de Jesus com apenas um cego. Em Mateus e Marcos, lemos que Jesus foi orar sozinho três vezes no Jardim do Getsêmani, enquanto que em Lucas, lemos que Jesus foi orar sozinho em apenas uma ocasião. Segundo as regras legais de evidência e da Lei de não-contradição, estas escrituras não são contraditórias, mas ainda assim fazem parte de todas as listas infames.

 

Contradições da Bíblia – Uma Questão de Tradução e Contexto
Algumas contradições da Bíblia aparentam ser contraditórias só por causa da complexidade da tradução da Bíblia. A análise das línguas originais da Bíblia (hebraico para o Antigo Testamento e grego para o Novo Testamento) pode resolver muitos aparentes problemas. Isso não é uma prática diferente de qualquer outra análise textual do material traduzido. Todas as línguas (especialmente o hebraico e grego) têm limitações especiais e nuanças que causam dificuldade na tradução. O contexto histórico da tradução também pode causar algum mal-entendido.

Por exemplo, o livro de Atos tem duas narrativas da conversão de Paulo a caminho de Damasco. Em Atos 9:7: “Os seus companheiros de viagem pararam emudecidos, ouvindo a voz, não vendo, contudo, ninguém.” Em Atos 22:9: “Os que estavam comigo viram a luz, sem, contudo, perceberem o sentido da voz de quem falava comigo.” À primeira vista, essas narrativas aparentam ser contraditórias - uma diz que os companheiros de Paulo ouviram uma voz, enquanto a outra diz que nenhuma voz foi escutada. No entanto, o texto grego resolve o dilema.

"A construção do verbo 'ouvir' (akouo) não é a mesma em ambas as narrativas. O verbo em Atos 9:7 é usado com o genitivo e em Atos 22:9 com o acusativo. A construção com o genitivo apenas expressa que algo está sendo ouvido ou que certos sons alcançam o ouvido; isso não explica se uma pessoa compreende o que ouve ou não. A construção com o acusativo, no entanto, descreve o ato de escutar que inclui a apreensão mental da mensagem falada. A partir deste estudo, torna-se evidente que as duas passagens não são contraditórias" (WF Arndt, Does the Bible Contradict Itself?, páginas 13,14). Por conseguinte, Atos 22:9 não nega que os companheiros de Paulo ouviram alguns sons, essa passagem simplesmente afirma que eles não entenderam os sons que ouviram.

 

Contradições da Bíblia – Investigue bem por você mesmo
É absolutamente fascinante como muitas pessoas rejeitam a Palavra de Deus ao focalizar-se em uma pequena lista de supostas contradições da Bíblia. No entanto, quando apresentadas o milagre bíblico da estrutura, da sobrevivência, da integração, da veracidade histórica, das evidências arqueológicas, das descobertas científicas, dos registros extra-bíblicos que corroboram o seu testemunho e das centenas de profecias cumpridas (cada categoria de longe superando qualquer outro livro "santo"), as pessoas apenas ignoram os fatos. Quando visto ao lado de outros escritos históricos, o padrão duplo na crítica textual é óbvio. Lembre-se: "porque Deus não é de confusão ..." (1 Coríntios 14:33). Se alguém lhe apresenta uma suposta contradição na Bíblia, tire um momento para investigá-la seriamente por si mesmo."

<http://www.allabouttruth.org/portuguese/contradicoes-biblicas.htm>

 

O autor do texto acima, em seu grande esforço de harmonizar as afirmações incongruentes que encontramos na Bíblia, apresentou um fato contado contraditoriamente e o comparou com audiência de testemunhas em um tribunal; mas depois apresentou outro texto, que nem é contraditório, mas ele próprio extraiu dele interpretação contraditória.  Ele disse das duas narrativas "uma diz que os companheiros de Paulo ouviram uma voz, enquanto a outra diz que nenhuma voz foi escutada", enquanto o texto nem diz isso. Pois Atos 9:7 diz que “Os seus companheiros de viagem pararam emudecidos, ouvindo a voz, não vendo, contudo, ninguém.”, e Atos 22:9 diz que eles viram a luz, sem, contudo, perceberem o sentido da voz de quem falava”.  A expressão "ninguém" significa "nenhuma pessoa".  A segunda afirmação diz que eles viram, não pessoas, mas uma "luz".   A segunda afirmação não afirma que "nenhuma voz foi escutada" como disse esse autor, mas que não perceberam "o sentido da voz que falava".  Quem contradisse aqui foi e explicador, não o texto bíblico.

Mas, voltando ao primeiro caso, podemos ver que é bem diferente uma pessoa ver duas pessoa, outra ver três e outra uma só.  Dependendo do local em que você está no momento de um fato, você pode ver uma parte e outra pessoa ver outra.   Mas afirmar que Jesus orou uma vez e dizer que ele orou três vezes já é um pouco diferente.  O mais incongruente são afirmações como estas: "Antes que o galo cante, tu me negarás três vezes” (Mateus, 26: 74, 75) e "Antes que duas vezes cante o galo, tu me negarás três vezes.” (Marcos, 14: 68, 72).   O galo cantou uma ou duas vezes? Uma afirmação tem que excluir a outra.

 

Veja uma relação de um pouco das contradições encontradas na Bíblia que não são simples afirmações complementares nem falhas de tradução, mas realmente informações excludentes. Leia CONTRADIÇÕES BÍBLICAS.

 

Ver mais sobre RELIGIÃO

 

 

..

.