INDIANOS TAMBÉM MATAM PELOS SEUS DEUSES

 

E, tudo o que pedirdes em oração, crendo, o recebereis.

Mateus 21:22
E, tudo o que pedirdes em oração, crendo, o recebereis.

Mateus 21:22
E, tudo o que pedirdes em oração, crendo, o recebereis.

Mateus 21:22

"Conflitos entre hindus e muçulmanos deixam 572 mortos na Índia
04/03/2002

Nove pessoas morreram hoje no Estado indiano de Gujarat, fazendo com que o número total de mortos no pior conflito religioso no país em dez anos subisse para 572.

Apesar das mortes, ocorridas em vários episódios de violência principalmente em áreas rurais, a tensão se reduziu hoje em Gujarat (oeste da Índia), e funcionários do governo disseram que não houve grandes enfrentamentos.

"O pior já passou", afirmou Ashok Narayan, alto funcionário do governo do Estado. "Não diria que está tudo normal, mas estamos caminhando lentamente nessa direção."

O número de mortos desde quarta-feira passada, quando um grupo de muçulmanos ateou fogo a um trem que transportava ativistas hindus, matando 58 pessoas, subiu para 572.

Os ativistas voltavam de cerimônias religiosas em prol da construção de um templo no local onde uma mesquita foi destruída em 1992, em Ayodhya.

O incidente provocou a ira de hindus em Gujarat, que realizaram ataques a estabelecimentos comerciais e residências de muçulmanos. No fim de semana, membros das duas comunidades passaram a se enfrentar também no Estado de Uttar Pradesh (norte do país).

Mais de 81% dos indianos são hindus, e 12% são muçulmanos. As minorias religiosas incluem cristãos (2,3%) e sikhs (1,9%)."

<https://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u37894.shtml>

 

 

Confrontos entre hindus e muçulmanos deixam 20 mortos na Índia
AFP
postado em 26/02/2020 06:07

Ao menos 20 pessoas morreram e 189 ficaram feridas nos confrontos entre nacionalistas hindus e muçulmanos que começaram no domingo em Nova Délhi, segundo um balanço atualizado divulgado nesta quarta-feira (26).

Estes são os piores confrontos em décadas em Nova Délhi. O governador da capital do país pediu ao governo central que decrete toque de recolher e envie o exército à cidade.

Homens armados com pedras, facas e armas de fogo provocam o caos desde domingo nas áreas periféricas de maioria muçulmana ao nordeste da capital indiana, a uma dezena de quilômetros do centro da cidade, onde moram trabalhadores migrantes pobres.

Os grupos armados hindus atacaram locais e pessoas identificadas como muçulmanas, informou a imprensa local.

Os agressores gritam "Jai Shri Ram" ("Viva o Deus Rama"), de acordo com testemunhas.

Nas redes sociais circulam vídeos que mostram um grupo de nacionalistas hindus subindo no minarete de uma mesquita para colocar a bandeira indiana.

O principal hospital da zona registrou 20 mortes até esta quarta-feira.

"Há 189 pessoas hospitalizadas. Quase 60 pessoas foram feridas a tiros", declarou Sunil Kumar, diretor do hospital GTB.

Os confrontos são motivados pela polêmica lei de cidadania, que para muitas pessoas é discriminatória em relação aos muçulmanos.

A nova lei facilita a concessão da cidadania aos refugiados, desde que não sejam muçulmanos.
Continua depois da publicidade

O texto cristalizou o temor de que os muçulmanos podem ser relegados a cidadãos de segunda categoria, em um país onde os hindus representam 80% da população.

A lei provocou as maiores manifestações na Índia desde a chegada do primeiro-ministro Narendra Modi ao poder em 2014.

Arvind Kejriwal, o governador de Délhi, estado que inclui a a capital, considera a situação "alarmante" e pediu ao governo do primeiro-ministro Modi a adoção do toque de recolher e o envio de militares.

"Apesar de seus esforços, a polícia não consegue controlar a situação e restaurar a calma", disse Kejriwal.

A segurança em Délhi, território que dispõe de um estatuto particular, é responsabilidade do governo central.

O primeiro-ministro fez um pedido de paz e fraternidade aos habitantes de Délhi.

"A paz e a harmonia são fundamentais para nosso espírito. Faço um apelo a meus irmãos e irmãs de Délhi para que mantenham a paz e a fraternidade a todo momento", afirmou Modi, um nacionalista hindu, em uma mensagem divulgada no Twitter.

É importante que exista calma e que a normalidade seja restabelecida o mais rápido possível", acrescentou o primeiro-ministro.

Muitos trabalhadores migrantes começaram a abandonar o distrito dos confrontos para retornar a seis vilarejos.

"Não há trabalho, vale mais a pena sair do que ficar. Ficar aqui para morrer?", afirmou um alfaiate que pretende voltar a seu vilarejo natal, no estado vizinho de Uttar Pradesh.

"As pessoas estão se matando. Há tiros", completou.

A explosão da violência coincidiu no domingo com o início da visita do presidente americano Donald Trump, que terminou na terça-feira.

<https://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2020/02/26/interna_internacional,1124336/confrontos-entre-hindus-e-muculmanos-deixam-20-mortos-na-india.shtml>

 

Passa o tempo, a humanidade evolui, mas uma parte continua derramando sangue em nome dos seres imaginados pelo homem primitivo. 

 

Aí vemos que o deus Yavé/Allah não é o único carniceiro sobrevivente.  Indianos também estão matando em nome de Rama.  Embora hoje o mundo seja bem pacífico em comparação com o de mil anos atrás, podemos concluir que, enquanto houver gente acreditando em seres imaginários, a paz continuará um pouco rara no mundo.

 

Ver mais MALEFÍCIOS DA RELIGIÃO

 

..

.