Economia e política, conhecimentos gerais, contos e crônicas, avisos, cartas, humor.

 

 PREVISÕES DE IVAN TRILHA
 (28/06/2009)

 

Eu já havia lido que a morte de John Kennedy fazia parte das previsões de Nostradamus e de ninguém mais.  Recentemente, isto é em 2006, a Revista Encontro publicou uma entrevista informando que Ivan Trilha a havia previsto.  Pesquisei no Google, nada encontrei que ligasse Ivan Trilha à morte do presidente americano.  Agora já encontramos, mas tudo posterior à revista.

"O paranormal Ivan Trilha – aquele mesmo que previu a morte do presidente norte-americano John Kennedy – já viajou por quase 60 países do mundo, a trabalho, e acredita que todos nós temos habilidades sensitivas.  “Obviamente, uns em maior grau”
 Adréa Avelar e Luciana Avelino

É impossível ficar indiferente a conversa de Ivan Trilha.  Uns gostam, outros não.  A habilidade de ver além das aparências foi descoberta precocemente.  Aos seis anos de idade ele já fazia atendimentos em São Borja (RS), sua cidade natal.  Mas a projeção mundial veio depois que ele fez a previsão precisa da morte do ex-presidente norte-americano John Kennedy.  Trilha foi capa de importantes publicações – como a revista Time -,  participou de diversos concursos, recebeu premiações ao redor do mundo e escreveu um livro que se tornou best seller.  O poder da mente.  Durante a década de 90, passou por uma fase mais introspectiva, afastado dos holofotes da mídia.  Hoje, ele usa seu poder de clarividência para prestar consultoria empresarial e atendimentos individuais. Casado com a mineira Mackleny Rosenburg, Trilha mora em Belo Horizonte e está sempre em trânsito para atender clientes no Brasil e no exterior.  Em entrevista à Encontro, ele fala de seu trabalho, conta lembranças do presidente Goulart, com quem conviveu, e faz algumas previsões.  “Dentro de 10 anos, a água vai ter o mesmo preço do petróleo”, diz.  Defende que o equilíbrio do planeta depende, necessariamente, do controle interno do homem e aposta que o Brasil e Minas Gerais serão referências econômicas latino-americanas.

 

ENCONTRO – Como descobriu que tinha percepções paranormais?

TRILHA – Nasci na fazenda do ex-presidente João Goulart em São Borja (RS), onde se tomavam as grandes decisões políticas nacionais.  Era a época de Jango, Getúlio Vargas, e Brizola.  Minha bisavó, uma cigana húngara, era guru de Vargas. A vidência não era novidade para mim.  Eu era o discípulo mais querido da minha bisavó.  Com seis para sete anos, coloquei o meu primeiro tarô. 

 

ENCONTRO – E o que aconteceu depois que perdeu sua mãe? O senhor foi adotado por Neusa Goulart Brizola (irmã do ex-presidente João Goulart e casada com Leonel Brizola)?

TRILHA – Fiquei órgão de mãe, com cinco anos.  Passei um tempo com a minha bisavó. Seguiu-se um período – cerca de um ano – que vivi com as crianças de rua, lá em São Borja. Ficava perto da igreja e vendia doces.  Até que minha madrinha, Neusa Goulart Brizola, primeira-dama na época, me levou para Porto Alegre.  Depois Brizola foi eleito governador do estado. E João Goulart era vice-presidente da República. Comecei a transitar entre Brasília, Rio de Janeiro e Porto Alegre.  Foi uma época de profundo aprendizado. Depois veio o exílio. Ficamos no Uruguai e muitos estadistas iam visitar o presidente.  Eu era apresentado a eles e atendia políticos, amigos do ex-presidente e suas esposas.

 

ENCONTRO – Quais suas lembranças do ex-presidente João Goulart?

TRILHA – As melhores possível De um ser que transitava acima do bem e do mal.  Um estadista com o coração do tamanho da humanidade.  É a referência que eu tenho de pai, de grande homem.

 

ENCONTRO – Como foi o episódio em que previu a morte do presidente Kennedy?

TRILHA – O episódio foi manchete porque acabou sendo previsto num programa de televisão, ao vivo.  Eu colocava o tarô e via a imagem do presidente Kennedy.  Aparecia sempre o número sete.  Aí, espontaneamente, eu disse que ele iria morrer, em sete dias ou sete meses (se confirmou sete dias depois).  Eu não sabia que a previsão da morte do Kennedy alcançaria repercussão tão grande.  Depois disso, eu não pude parar.  Viajei para mais de 50 capitais do mundo, atendendo grandes estrelas da arte e políticos.

 

ENCONTRO – As pessoas nascem videntes ou desenvolvem a sensibilidade? Você se considera uma pessoa especial? 

TRILHA – Em realidade, todos nós temos habilidades sensitivas.  Obviamente, uns em maior grau, outros em menor.  Nós somos parte de um todo, que é o universo.  O que acontece é que, em determinado momento, se perde a conexão.  Nesse sentido, os mais evoluídos espiritualmente – ou mesmo aqueles que estão mais concentrados – são sempre atentos aos sinais.  Sou uma pessoa como qualquer outra.  Talvez a diferença esteja em minha integração plena com o universos, o respeito às suas leis e  ao ser humano – côo a obra maior do planeta.

 

ENCONTRO – Ainda acompanha e aconselha políticos?

TRILHA – Sim, mas agora estou prestando consultoria mais voltada a empresas. Trabalho para árabes, com pêndulo para descobrimento de petróleo e para o mundo financeiro.  Também atendo muitos atletas. Continuo trabalhando com o ser humano, que é a minha paixão, com as terapias para desenvolvimento do novo homem.  Quero passar essa idéia para o maior número de pessoas e depois esperar o momento de sair um pouco do planeta.  Quero que minhas cinzas fiquem aqui em Minas Gerais. 

 

ENCONTRO – Como é o atendimento que você presta?

TRILHA – É um trabalho de leitura profunda: quem é, onde está, de onde veio, quais as suas possibilidades.  Pode-se ter uma visão geral e depois trabalhar os canais: financeiro, emocional, mental, físico.  Para empresas, o trabalho é um pouco diferente, avaliam as possibilidades de crescimento.  Temos assessoria para fazer um pequeno parecer econômico e de estratégia para empresas.

 

ENCONTRO – Mas de que forma essa análise é feita?

TRILHA – Deixo a mente em branco e me aparece uma grande tela (côo se fosse a de cinema) – nela vão aparecendo as imagens que vou traduzindo.  Algumas vezes utilizo, também, o tarô de Salvador Dali – suas imagens me falam.

 

ENCONTRO – Esse canal de comunicação fica aberto o tempo todo?

TRILHA – Eu tenho total domínio sobre mim – abro e fecho quando quero.  Existem dias e momentos e, também, a outra parte tem que estar em abertura – tanto seres humanos quanto as empresas que estejam em processo de consultoria e assessoria comigo e com minha equipe.

 

ENCONTRO – Como lida com a clarividência no dia-a-dia?

TRILHA – Não sou nenhum ET... Tenho uma vida normal, minhas escolhas são, quase sempre, feitas da mesma forma dos outros.  Por exemplo, para fechar negócios: qual a possibilidade concreta? Como está esse mercado?  Questionamentos que qualquer pessoa faria.

 

ENCONTRO – Já fez alguma previsão negativa para a sua família?

TRILHA – Sim. Eu morava no exterior e um parente foi me visitar.  Tudo deu supercerto, mas em dado momento ele resolveu vir ao Brasil Eu sabia que não seria bom.  Pedi, repliquei seus argumentos, mas de nada adiantou (o tal do livre-arbítrio, não é mesmo?).  Ele veio e houve um acidente fatal

 

ENCONTRO – Então é possível que, mesmo diante de uma previsão negativa, a pessoa consiga reverter a situação?

TRILHA – Nós temos vários níveis de vibração.  A grande magia é estarmos sempre num bom canal vibratório.  A maioria das negatividades é dissolvida ao mudarmos de freqüência.

 

ENCONTRO – Qual é a sua religião ou aquela com que o senhor mais tem afinidade?

TRILHA – Sou um livre pensador. Um amante de todas as liberdades.  A questão religiosa resume-se em um ponto: conexão com o maior, com o universo.  Eu não sou adepto de nenhuma religião, respeito todas e acho que cada pessoa  tem sua forma de se conectar, de crer. Essa é a chave – crença, fé.  Isso é poderoso. Não importa através do que você se conecte – tudo é instrumento.

 

ENCONTRO -  A sua sensibilidade já atrapalhou sua vida pessoal?

TRILHA –Nunca. Algumas vezes pode se tornar cansativo estar em lugar muito cheio, pois acabo me conectando e vendo muita coisa. 

 

ENCONTRO – O que o senhor prevê de concreto para o Brasil e 2007?

TRILHA – O Brasil está, enfim, caminhando para a inserção definitiva no cenário mundial.  Acredito que o presidente fará um excelente governo.  O Brasil e Minas Gerais são os escolhidos para serem os grandes centros financeiros latino-americanos.  Quanto à corrupção, uma grande limpeza se iniciou no país.  Mas o processo é lento e profundo.

 

ENCONTRO – Como manter o crescimento econômico a longo prazo, garantindo recursos naturais para as gerações futuras e preservando o planeta?

TRILHA – Dentro de dez anos, a água vai ter o mesmo preço do petróleo. É preciso fazer um extraordinário trabalho para o homem se equilibrar.  De dentro de nós sai o equilíbrio do planeta. A natureza vai se voltar contra o homem, pois não está havendo harmonia, principalmente entre as lideranças políticas.  E por isso têm acontecido tantos desastres ecológicos. 

 

ENCONTRO – Há muito tempo a presidência da República é ocupada por paulistas ou pessoas com tradição política paulista.  Para 2010, existe a possibilidade de um político de outro estado chegar à presidênica?

TRILHA – O Aécio Neves é o noivo, é o filho é o amigo, é o padrinho, é o afilhado. As moças e os rapazes adorariam tê-lo como irmão. Os mais idosos gostariam de ser o padrinho ou o pai dele. Agora, essa energia precisa continuar. Ele tem um largo trabalho pela frente.  Mas uma coisa é certa: Minas Gerais será uma das maiores forças espirituais de todo o planeta. 

 

ENCONTRO – Alguma novidade sobre a guerra no Oriente Médio

TRILHA – Ainda levará algum tempo para as coisas se acertarem por lá. O homem tem que se voltar mais para si e para a natureza. As religiões criam muitos conflitos.  Os fanatismos são um trampolim para as guerras. 

 

ENCONTRO – Se fosse a um clarividente, o que o senhor gostaria de saber?

TRILHA – Como poderíamos unir forças para que o ser humano tivesse a mente livre para caminhar acima do bem e do mal.  Também, como poderíamos prover toda a humanidade com educação, alimentação, emprego e renda.

 

ENCONTRO – O senhor se considera uma pessoa feliz?

TRILHA – Como Ivan sou extraordinariamente feliz.  Já com o coletivo não, porque ainda estamos com muitas traves e lixos mentais, gerando desarmonia e desigualdade em todas as áreas. Precisamos da ressurreição do homem novo – feliz, leve e pleno, e iluminado.

 

ENCONTRO – Que conselho daria para quem pretende começar 2007 com o pé direito?

TRILHA – Que faça uma bela meditação, sete dias antes.  Um bom trabalho no seu corpo, tirando todas as sujeitas mentais, confusões psíquicas.  Depois, que repita as palavras sábias: eu sou, eu quero, eu posso, eu faço, eu tenho.  Todas as leis do universo, visíveis e invisíveis, ao meu favor. As pessoas que vão brilhar são aquelas que estiverem mais equilibradas emocionalmente e espiritualmente. (Encontro, dez/2006, pág. 16-20)

 

Quando vi isso na revista, pesquisei no Google, para ver se encontravam alguma referência a essa previsão da morte de John Kennedy, não econtrei nada a respeito, e o nome de Ivan Trilha quase não aparecia.  Um dos poucos resultados que encontrei é esta previsão abaixo :

Previsão

"Na virada do ano o paranormal Ivan Trilha dizia em Belo Horizonte que em 2007 o Brasil descobriria  um dos muitos campos  de petróleo guardados em seu  solo. Também alertou para o risco do esgotamento das fontes de água potável chegar mais cedo do que pregam os estudiosos do assunto. E ainda vaticinou: - a próxima guerra não terá nada a ver com o petróleo, e sim, com a água. (http://www.supermidiabrasil.com.br/index.php?op=conteudo&id=218)

Quando teria dito isso?   Não foi à Revista Encontro.   E onde está o campo de petróleo?

Hoje, voltei a pesquisar no Google, encontrei  1050 (mil e cinquenta) resultados com o nome "Ivan Trilha", inclusive uma página dele, que não apareceu em 2007.      Escrevi depois "ivan trilha" morte de John kennedy,  apareceram 7 resultados.  Dois resultados são da própria página de Ivan Trilha, dois são da Revista Encontro (site1.revistaencontro.com.br/junho04/perfil.asp, site1.revistaencontro.com.br/junho04/carta_do_editor.asp), um do Jornal O Tempo (http://www.otempo.com.br/otempo/noticias/?IdEdicao=558&IdCanal=4&IdSubCanal=&IdNoticia=47940&IdTipoNoticia=1), publicado em 29/05/2007, um do Yahoo Resposta (http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20070928171032AAfZ2FL) (por pessoa que havia lido a Revista Encontro), um de arquivo.diariodecuiaba.com.br/110899/cidades2.htm, link que não se abre mais.

Ao que parece, a Revista Encontro de dezembro de 2006 deu origem a todas essas referências que estão fora da página de Ivan Trilha.  Ninguém mais soube da tal previsão da morte de John kennedy.   
 

Ver mais PREVISÕES DO FUTURO

..

BUSCA
Google

PROCURE NA CAIXA ABAIXO