O JUÍZO FINAL DOS MUÇULMANOS

 

Líderes muçulmanos pedem que judeus sejam exterminados para acelerar o fim do mundo.
Citando o Alcorão e a tradição, religiosos afirmam que ataque aos judeus deve ser devastador.

O líder muçulmano Hazem Shuman ficou conhecido um tempo atrás ao defender que os islâmicos não devem escutar música. Recentemente, argumentou em seu programa de TV, que é transmitido para todo o Egito, que os judeus precisam ser totalmente derrotados e destruídos.

Um dos motivos para isso é que, segundo ele, “90% dos atores famosos do mundo são judeus e a mídia mundial está em suas mãos”. O resultado foi uma nova onda de fúria antissemita por parte dos egípcios que vivem meses de lutas internas e instabilidade política. Há uma disputa clara entre os muçulmanos radicais e os moderados pelo controle do país. Desde a queda de Mubarak, várias igrejas foram queimadas e muitos cristãos assassinados.

Hazem Shuman citou uma “hadith” (promessas de Maomé), lembrando que os muçulmanos podem apressar a vinda do Dia do Juízo Final matando judeus. Ele invocou o histórico massacre de judeus feito por Maomé no oásis de Khaybar, na Arábia. Também citou o Alcorão 5:82, que afirma serem os judeus os piores inimigos dos muçulmanos.

Ao iniciar seu discurso ele afirma que os egípcios podem exterminar facilmente os judeus se realmente quiserem e sugere uma guerra imediata.

Entre suas declarações polêmicas no vídeo, estão: “Estes judeus são um câncer no corpo do Planeta Terra, livrar-se deles é uma obrigação. Qual foi a nossa resposta quando seis egípcios foram mortos por judeus na fronteira? Convocamos o embaixador judeu para dar explicações? Não. Ele foi expulso do Egito? Não. O embaixador egípcio em Israel foi chamado de volta? Não. Então qual foi a nossa resposta? Irmãos, é sobre a honra de nosso povo de que eu estou falando.

Digo aos 85 milhões de egípcios: Devem odiar os judeus do fundo de seus corações. [...] vocês tem conhecimento do que os judeus fizeram contra nós e de como Alá nos avisou sobre eles… Digo-lhes que a batalha está por vir, Alá seja louvado.

O profeta Maomé, cujas palavras são divinamente inspiradas, disse: “O Dia do Juízo virá quando os muçulmanos lutarem contra os judeus.” Isso significa que os muçulmanos devem se envolver [na luta]. Não é uma batalha qualquer.

Ele disse: “
Os muçulmanos lutam contra os judeus, e as pedras e as árvores vão dizer: Oh muçulmanos, oh servos de Alá, há um judeu atrás de mim, venha matá-lo.” Até mesmo as pedras e as árvores os odeiam. A batalha certamente virá. [...] Oh nação de Maomé, Alá diz a você: Se você tem medo de guerra contra os judeus, preparem-se para a guerra contra Alá. Esta é uma guerra com os judeus ou uma guerra contra Alá.

Alá diz que toda a nação poderia ser substituída se não está preparada para sacrificar o seu sangue por causa da Palestina. Minha mensagem a todos os judeus é que a batalha certamente virá e vocês serão derrotados. Alá prometeu que vocês serão derrotados e que nós vamos prevalecer.

Digo a vocês que o nosso Profeta Maomé, cujo cada palavra acreditamos e seguimos – no momento em que assinaram o Tratado Hudaybiyya com Meca, a primeira coisa que fez após a batalha com a tribo coraixitas, apenas 20 dias após a assinatura do Tratado Hudaybiyya, ele liderou o seu exército e atacou Khaybar.

Por que, oh Mensageiro de Alá? Porque esses judeus são um câncer. Estes judeus são uma catástrofe. Não é uma catástrofe no mundo que não é obra dos judeus. Estes judeus são um câncer no corpo do planeta Terra, e, se permitido, ele vai se espalhar e infectar o corpo inteiro. Livrar-se desses judeus é uma obrigação.

Em um tom similar, o mufti Muhammad Hussein, líder religioso da Autoridade Nacional Palestina (ANP), disse que “A Hora (do Juízo Final) não virá até que lutemos contra os judeus. Ele fez um discurso durante a celebração do 47 º aniversário da fundação da organização política terrorista Fatah, em 9 de janeiro.

Durante sua fala, o líder muçulmano citou a mesma Hadith para pedir, claramente, o assassinato imediato de todos os judeus. Muhammad Hussein disse que a hadith sobre as árvores e pedras apontando onde os judeus se escondem vai se cumprir.

Uma pesquisa financiada pelo Projeto Israel no ano passado, constatou que 73% dos palestinos acreditam nesta “profecia”. Hussein, declarou ainda que: “Nossa guerra com os descendentes de macacos e porcos, ou seja, os judeus, é uma guerra de religião e de fé”. Não é a primeira vez que ele defende o extermínio dos judeus. Num discurso na mesquita de Al-Aqsa, em 2010, pediu para que todos os judeus fossem mortos.

O responsável por sua nomeação como autoridade religiosa oficial da Autoridade Nacional Palestina é o atual presidente, Mahmoud Abbas.

http://noticias.gospelprime.com.br/lideres-muculmanos-pedem-que-judeus-sejam-exterminados-para-acelerar-o-fim-do-mundo/

 

Eles são uma ameaça à paz muito maior do que os cristãos e os judeus.  Pois, enquanto os cristãos esperam que Jesus venha e busque seus escolhido antes que venha a chamada Guerra do Armagedom e destruição dos ímpios, e os judeus esperam o nascimento de um libertador em Belém, aquele que, se fosse para existir teria existido nos dias da Assíria, esses muçulmanos, com base eu seu livro sagrado, acreditam que são eles próprios que farão o juízo final destruindo os judeus.  Eles podem, a qualquer momento provocar uma tremenda carnificina, tudo em nome desse ser imaginário, que nada faz, nem poderia fazer, mas a suposição de sua existência provoca muitos danos por meios dos humanos.

 

Ver mais sobre o  ISLAMISMO

 

..

.