PEQUENAS IGREJAS GRANDES NEGÓCIOS

 

 ARTIGO: A Indústria da Fé, Pequenas igrejas Grandes Negócios

Será que toda essa graça vem de D'us, como eles dizem?

A cada dia que passa, o que mais vemos surgir por aí são igrejas. Seja nas grandes cidades ou no interior, vemos pastores gritando, orando. No início, eles se reunem em casebres, pequenas lojas. Mas, dentro de pouco tempo, já estão construindo verdadeiros castelos, luxuosos.

A ORIGEM

O movimento de criação de seitas e igrejas em massa começou nos Estados Unidos e hoje o fundamentalismo religioso naquele país é fortíssimo, tendo influência na política e até no sistema educacional. Para vocês terem uma noção, em algumas regiões é proibido o ensino da teoria da evolução de Darwin e o Big Bang e, no lugar destes, é lecionado o criacionismo (teoria pela qual o universo foi criado conforme o relato, ao pé-da-letra, do primeiro livro da Bíblia, o Gênesis).

Na década de 1970, um pastor norte-americano veio ao Brasil para incentivar a fundação de igrejas. E das pequenas igrejas que naquela época foram fundadas, hoje se tornaram verdadeiros impérios.

O ambiente para o surgimento desse movimento era favorável. É sabido que a vida em nosso país não é fácil. Há muita injustiça social, como a falta de emprego, o povo não tem acesso a uma educação e saúde de qualidade. E nesse quadro, muitos jovens se desviando para o caminho do crime e dos vícios. As pessoas, frente a tais circunstâncias, começam a desacreditar na vida, achando que ninguém as gostam, ou seja, a perda do amor próprio.

Resumindo: com a falta de cultura da grande população e a falta de amor próprio, favorecia alguém que viesse com palavras de consolo e com chavões do tipo: "Jesus te ama e ele quer te ajudar."


A TEOLOGIA DA PROSPERIDADE

A dita Teologia da prosperidade apregoa que "D'us prometeu aos antigos que aqueles que o seguissem, teriam riqueza, poder" e que "deve-se cobrar as promessas feitas por D'us". Na visão dessa ideologia é só aqueles que tiverem sucesso financeiro é que receberam a graça de D'us. Para sustentarem tal concepção, deturpam passagens bíblicas, que tem outros significados.


OS MOTIVOS DO CRESCIMENTO DAS IGREJAS

Os pastores, em suas pregações, misturam coisas certas com erradas. E as pessoas que estão afetadas emocionalmente, são iludidas facilmente. Eles (os pastores) dizem que é preciso seguir o que eles falam para a pessoa poder receber a graça. Para receber é preciso dar. E no caso, o dar seria dar o dízimo. As bênçãos só chegarão para aqueles que derem o dízimo. As pessoas, com pouca instrução, acabam dando 10% de seu salário, que às vezes não é suficiente para se sustentarem, e dão aos pastores.

Em qualquer horário que você liga a televisão, encontram-se programas "religiosos". Tem alguns que aparecem em até 3 emissoras diferentes (Silas Malafaia apresenta seu programas na CNT, Bandeirantes e Rede TV. O preço do horário na televisão é alto, imagina o dinheiro que esse sujeito deve arrecadar para estar em 3 canais.) e alguns já detém até uma emissora (a Recorde é propriedade do Edir Macedo). E nenhum deles faz questão de esconder suas riquezas. E afirmam que esse é o objetivo de D'us - o sucesso financeiro.

O Malafaia fez uma Bíblia chamada "Batalha espiritual e vitória financeira", na qual ele diz que D'us não quer que vivamos na pobreza, que a falta de dinheiro é coisa do inferno. Inferno? Malafaia se esquece que o próprio Jesus não era rico, e tinha o ofício de carpinteiro. Os apóstolos de Jesus também não eram ricos. Pelo contrário, reuniam-se às escondidas, muitas vezes em casebres, cemitérios. Pedro era pescador. O dinheiro que este sujeito ganha com os dízimos dos seus fiéis e do comércio com livros e cds fez a própria "vitória financeira" dele.

E quantos escândalos sobre lavagem e dinheiro que não são declarados com pastores da igreja Universal? E o casal de "bispos" da igreja Renascer presos nos EUA por não declararem o dinheiro que levavam? O pior é que, apesar das acusações mais do que comprovadas pela justiça, esses ladrões têm o apoio dos seus seguidores, entre eles até conhecidos jogadores de futebol.

As instituições arrecadam muito dinheiro, não precisam declará-lo e ainda estão isentas de impostos, como o IPTU (imposto predial). Aí fica muito fácil enriquecer. Abrir uma igreja se tornou um grande negócio.
(fonte: Doctor Perplexorum)

A proliferação de igrejas Brasil afora tem gerado muita renda e empregado muitos pastores.O trabalho é muito bem remunerado e para se tornar um profissional na área basta um estágio na conceituada IURD, ou se for um caso, um curso técnico com o Phd em ladrologia Edir Macedo ! Se quiser, pode abrir também uma franquia de multinacionais como a Renascer ou da nacional do empresário RR Soares. Lembre-se de que a abertura de novas igrejas é o setor da economia que mais cresce, o que está esperando?, abra já o seu negócio!!!

A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) estruturou-se no contexto neoliberal e pluralista da sociedade pós-moderna. Atribuindo uma leitura espiritual às crises de sentido de vasta "massa-clientela", o rito do descarrego exorciza os males e promete libertar o indivíduo para a prosperidade imediata, mediante a contribuição financeira (dízimos e ofertas) à igreja.

Nesta barganha, formou-se um conglomerado empresarial e político, movido pela estratégica venda do religioso e tornado produto de oferta no mercado de bens simbólicos e de sentido à vida.

A (IURD) incentiva a cultura individualista e materializada da concentração, consumo e prazer dos bens terrenos, numa mística secularizada, embasada na Teologia da Prosperidade. Atua com eficácia na apropriação dos elementos míticos, simbólicos e do senso comum da sincrética cultura e religiosidade popular.

Trecho do livro: Bispo S/A - A Igreja Universal do reino de Deus e o exercício do poder
(Odêmio Antonio Ferrari)

(Fonte: http://www.canaldaqui.com.br/concurso-publico/2066-artigo-a-industria-da-fe-pequenas-igrejas-grandes-negocios.html acessado em  08/05/2010)

 

Ver mais RELIGIÃO

- -

BUSCA
Google

PROCURE NA CAIXA ABAIXO