A VOLTA DE JESUS QUANDO SERÁ, OU QUANDO SERIA?

 

Tudo sobre a volta de jesus, a chamada segunda vinda de cristo

 

Muita gente marcou data para a volta de Jesus, e alguns continuam marcando.  Todavia, aqueles que não estão tão seguros disso se desculpam bem com este este texto: "Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão só o Pai" (Mateus 24: 36).   Mas eles não observam que o autor do texto apenas deixou dúvida quanto ao dia e a hora, mas deu cronologia bem precisa para o fato que deveria ocorrer brevemente.

 

Em JESUS ANUNCIA O FIM, você pode ver que havia uma contagem de tempo quase exata para a volta de Jesus com poder e grande glória.  O que ocorreu, porém, é que qualquer que seja uma interpretação razoável do tempo apontado, esse tempo já foi ultrapassado em muito.   O evangelista apontou o "abominável da desolação de que falou o profeta Daniel" como sendo a ação dos romanos com o cerco e destruição de Jerusalém.   Lendo Daniel dos capítulos 8 até 12, você encontra a menção a alguém que destruiria a cidade santa e deteria poder sobre os "santos", isto é, os judeus, por "um tempo, dois tempos e metade de um tempo".  Isso era três anos e meio.  Sabemos que o texto de Daniel se referia a Antíoco IV.  Mas os autores de Mateus e Lucas reivindicaram essas palavras como se referindo ao romanos. “Quando, pois, virdes estar no lugar santo a abominação de desolação, predita pelo profeta Daniel (quem lê, entenda)” (V. 15). Em outras palavras "Quando, pois virdes Jerusalém sitiada de exércitos, sabei que está próxima a sua devastação" (Lucas, 21: 20).   Os dois se referindo a um mesmo fato não deixaram dúvida de que falavam de um tempo iniciado com o cerco de Jerusalém.  Se fossem considerar esse tempo como três anos e meio tudo teria que ter acabado muito rápido.   Por isso foi criada uma interpretação de que a cada dia correspondia um ano, sendo assim mil duzentos e sessenta anos.   Mas, embora um período muito grande, isso também passou já faz muito tempo e nada ocorreu do previsto.  Apenas o início foi descrito com muita precisão pelos evangelistas, porque eles escreveram os evangelhos só vários anos depois da destruição da da cidade.  Se contarmos mil duzentos e sessenta anos a partir da destruição da cidade (ano 70), chegamos ao ano 1330.  Já se passaram quase sete séculos desse ano e nada do previsto ocorreu; isto porque nunca ocorrerá mesmo.  O Sol e a Lua escurecerem é algo que um dia irá ocorrer, mas daqui a bilhões de anos.  Entretanto, as estrelas caírem do céu é fenômeno impossível de ocorrer.   As estrelas não são aquelas minúsculas bolinhas luminosas que os cristãos primitivos pensavam que fossem.  Uma das menores estrelas tem milhares de vezes o tamanho da Terra, o que torna impossível as estrelas caírem aqui.  E a simples aproximação de uns cem milhões de quilômetros com uma estrela seria suficiente para assar todos os seres vivos da Terra. 

 

Ademais, está muito claro nos evangelhos que os cristãos primitivos criam na volta de Jesus em seus próprios dias:

 

"Para os céticos, a segunda vinda de Jesus constitui uma promessa não cumprida.  Segundo as palavras atribuídas ao próprio Jesus nos evangelhos, sua volta deveria ter ocorrido antes de morrerem todas as pessoas que estavam vivas por volta do ano 30 E.C.:

Mateus 10:23 — Quando pois vos perseguirem nesta cidade, fugi para outra; porque em verdade vos digo que não acabareis de percorrer as cidades de Israel sem que venha o Filho do homem.
Mateus 16:27–28 — Porque o Filho do homem há de vir na glória de seu Pai, com os seus anjos; e então retribuirá a cada um segundo as suas obras. Em verdade vos digo, alguns dos que aqui estão não provarão a morte até que vejam vir o Filho do homem no seu reino. (Também em Marcos 8:38–9:1 e Lucas 9:26–27)
Mateus 24:30,34 — Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. [...] Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas essas coisas se cumpram. (Também em Marcos 13:26,30 e Lucas 21:27,32)
Mateus 26:59 — Disse-lhe [=ao sumo-sacerdote Caifás] Jesus: Tu o disseste; digo-vos, porém, que vereis em breve o Filho do homem assentado à direita do Poder, e vindo sobre as nuvens do céu. (Também em Marcos 14:62)

Além disso, outras passagens de livros do Novo Testamento mostram que os seus autores conheciam e acreditavam nesse prazo. Paulo, por exemplo, demonstra esperar a ressurreição dos mortos (um evento associado à volta de Jesus) antes que todos os cristãos vivos à época morressem. Os mortos ressuscitariam já com corpos "incorruptíveis", enquanto os que ainda estivessem vivos teriam seus corpos transformados:

1 Coríntios 15:51–52 — Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos [=morreremos], mas todos seremos transformados, num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós [=aqueles de nós que ainda estivermos vivos] seremos transformados.

Textos escritos próximos ao fim do prazo buscaram explicar a situação, alegando que ainda faltavam algumas condições a serem cumpridas:

2 Tessalonicenses 2:2–3,6 (escrito entre 80 e 100 E.C.[2]) — Que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, [...] como se o dia de Cristo estivesse já perto. [...] porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, [=o Anticristo] [...] E agora vós sabeis o que o detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado.

...ou que Deus estava dando um "tempo extra" para que mais pessoas se arrependessem e se salvassem:

2 Pedro 3:9 (escrito entre 100 e 160 E.C.[3]) — O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se.

Em qualquer caso, o prazo original de uma geração estaria errado, o que fere a suposta inerrância de Jesus." <Wikipédia>

 

Ver mais em A PROFECIA NÃO CUMPRIDA

 

Outra justificativa com o tempo:

 

"Mas espere um pouco, Jesus não falou mesmo: 'Eis que cedo venho' em Apo. 22:12? Por que então já se passaram quase 2.000 anos desde que ele falou isso?

É verdade. Mas considere o seguinte: Deus em Seu amor não revelou exatamente quando seria o fim do mundo. Só existe uma profecia bíblica que dá uma idéia de quanto tempo demoraria. Ela está em Daniel 8:14 e coloca o início do tempo do fim mais ou menos 2300 anos à frente do tempo do profeta (cerca de 1800A.D.). Só que Deus “selou” ou “lacrou” essa profecia para que ninguém desvendasse seu mistério.  Somente aqueles que viveriam depois de 1800 é que entenderiam essa profecia! Hoje nós podemos entendê-la, pois vivemos neste tempo do fim.

E isso tem uma boa razão de ser. Imagine como teria sido triste a vida dos crentes dos séculos passados se eles soubessem que Jesus não viria nos seus dias. Imagine se eles tivessem descoberto pelas profecias que Jesus demoraria ainda séculos para voltar! Teriam desanimado facilmente ou abandonado a fé. A promessa de Jesus que viria “cedo” ou “logo” fazia seus corações vibrarem. Sua vida cristã tirava forças da promessa do retorno de Jesus para seus dias, assim como o nosso hoje." (
http://www.ofimdomundo.com.br/por-que-esta-demorando-tanto-pra-jesus-voltar).   
 

É isso: Me engane, que eu gosto. E, assim, enquanto existir cristianismo, os corações irão vibrar esperando essa volta de Jesus.   Notem que, igualmente a outros de outras épocas, o autor coloca a volta de Jesus próximo de seus dias.

Os primeiros adventistas fizeram esse cálculo e os dois mil e trezentos anos terminavam exatamente em 1844. Mas, como nada aconteceu, arranjaram uma outra explicação, e os adventistas atuais estão fazendo com que esse tempo termine próximo de 2100.   Depois de 2100, se ainda existirem adventistas, eles encontrarão outro meio de adiar a volta de Jesus por mais algumas décadas.

 

Fosse realidade o que está escrito em Mateus 24 e em Lucas 21, o fim do mundo já teria ocorrido há muito tempo.  Inicialmente, eles achavam que Jesus retornaria em apenas alguns anos.  Mas, passadas décadas, eles escreveram essa previsão, que também falhou.  Está escrito que ninguém sabe o dia nem a hora; mas o século, ainda desconsiderando boa parte do que pensaram os primeiros cristãos, teria que ser o XIV, ou no máximo, o Século XV.   Veja os detalhes da previsão em  JESUS ANUNCIA O FIM.

 

Ver mais

 

..

.