Economia e política, conhecimentos gerais, contos e crônicas, avisos, cartas, humor.

 

O LADO BOM DE DEZ HÁBITOS CONSIDERADOS RUINS

Veja o lado bom de 10 hábitos que parecem ruins
Rosana Ferreira
 

Alguns hábitos considerados prejudiciais, como comer chocolate, também têm seu lado positivo

O mundo moderno traz inúmeros hábitos absorvidos no dia a dia sem a menor percepção de seu impacto na saúde. E muitos se acostumam a ideias prontas, que pregam que isso ou aquilo faz mal.

Estresse, videogame, sobrecarga de informações, carne vermelha, chiclete, sol e chocolate são alguns vilões dos nossos tempos. Mas tudo tem seu lado bom.

Então confira 10 itens e tire tudo a limpo:
 


» Estresse

Em pequenas doses, a tensão traz benefícios ao sistema imunológico

O estresse virou o grande vilão da atualidade, mas um pouco não faz mal a ninguém. "O estresse é uma reação positiva, pois prepara o organismo para uma resposta de luta ou fuga frente a situações de forte emoção", diz Isolina Maria Proença, psicóloga clínica do Centro Psicológico do Controle de Estresse, de Campinas (SP). Por isso várias pesquisas estão sendo desenvolvidas para analisar seus efeitos positivos.

Por enquanto, a conclusão é de que, em pequenas doses, um estado de tensão traz benefícios ao sistema imunológico e pode diminuir riscos de doenças como Alzheimer, artrite e alguns tipos de câncer. "O organismo tem boa intenção ao produzir adrenalina, substância que dá motivação para ir ao encontro das necessidades. O que deve ser levado em consideração, no entanto, é o nível de estresse", diz.

Ficar de olho de nos sintomas para distinguir o bom e o mal estresse é o melhor caminho. Na fase inicial, Isolina explica que há aumento de sudorese, taquicardia, tremedeira, tensão muscular e entusiasmo súbito. "São reações positivas da produção de adrenalina", diz. Mas elas não devem durar mais de 24 horas, o tempo necessário para que o corpo volte ao equilíbrio e se beneficie da situação.

Se os sintomas descritos acima desaparecerem e, em seu lugar, surgirem outros, como perda de memória, sentir-se cansado ao levantar e tonturas, é sinal de um nível de estresse mais alto, a segunda fase. O que geralmente acontece é que o ritmo continua até chegar à fase de exaustão, em que se instalam as patologias. Sem resistência física e imunidade baixa, o indivíduo pode desenvolver síndrome do pânico, diabetes, alteração da pressão arterial, gastrite, queda de cabelo, problemas de pele, gripe, infecções, dentre outras.
 


» Sol


Com tudo que aprendemos sobre os efeitos nocivos da radiação solar, como rugas prematuras, manchas e o mais grave de todos, o melanoma, a vontade é de passar longe da praia. Mas o sol faz bem, sim, ao organismo. Segundo a dermatologista paulista Marcella Delcourt, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, precisamos dele para estimular a produção de vitamina D, que não só fortalece os ossos como também o sistema imune e traz benefícios ao coração e ao cérebro, além de estimular a secreção de insulina pelo pâncreas, ajudando no metabolismo do açúcar.

"Apenas uma exposição diária e saudável ao sol é capaz de estimular a produção dessa vitamina", diz. Anote os horários de menor índice de radiação ultravioleta para uma exposição ideal: até as 10h e após as 16h. Não se esqueça de filtro solar UVA/UVB, chapéus e óculos escuros. E, se você trabalha dentro do escritório o dia todo, é importante sair um pouco, mas não se esqueça das recomendações acima.
 


» Chiclete

O chiclete estimula a produção de saliva, o que previne cáries

O chiclete ganhou fama de mau por seu alto teor de açúcar, que favorece o aparecimento de cáries. Isso ninguém nega. Mas estudos mostram que é possível reduzir as bactérias ruins da boca com o uso de gomas de mascar com xilitol, substituto do açúcar. "As bactérias absorvem o máximo de xilitol e acabam 'cansando'. Isso evita que se instalem na boca", diz a especialista em estomatologia (estudo da boca) Maria Carméli Correia Sampaio, do Departamento de Ciências Farmacêuticas da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e consultora da Associação Brasileira de Odontologia.

O chiclete ainda desencadeia a produção de saliva, o que facilita a limpeza e previne as cáries. "Se está viajando ou trabalhando e sabe que não vai conseguir escovar os dentes, mastigar o chiclete com xilitol pode ajudar na limpeza. Mas é preciso consumir de cinco a sete pedaços da goma por dia." No entanto, ela alerta: "Isso deve valer como um dispositivo de emergência. Nunca abandone a escovação pelo uso de xilitol".
 


» Vinho


O vinho é salutar desde que seus efeitos secundários, como a embriaguez, não sejam maiores que seus benefícios - e estes não são poucos. As uvas são importantes fontes de nutrientes antioxidantes, em especial os polifenóis, presentes nas cascas e nas sementes. Estudo brasileiro comparou a ação antioxidante do vinho tinto e do suco de uva e foi observado que o suco de uva possui uma atividade antioxidante significativamente inferior a do vinho tinto. Quando comparado ao vinho branco e ao vinho rose, o tinto também ganha por conter maiores quantidades de polifenóis.
 

Segundo a nutricionista Eliana Pereira Vellozo, supervisora do Ambulatório de Adolescência Geral e Obesidade do Centro de Atendimento e Apoio ao Adolescente do Departamento de Pediatria da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp-EPM), atualmente o consumo de vinho tinto está associado a efeitos benéficos sobre o metabolismo das gorduras, o aumento da atividade antioxidante, a redução da oxidação da partícula LDL-colesterol e a melhora do estado de coagulação, diminuindo o risco de doenças cardiovasculares.

"Todas essas ações se devem principalmente, ao composto fenólico resveratrol, que tem importante atividade oxidante", diz. "Essa substância age no metabolismo do açúcar diminuindo seus malefícios e age aumentando a energia celular, sendo um poderoso aliado no combate ao envelhecimento", complementa a dermatologista Marcella Delcourt.
 

 

» Chocolate

O chocolate aumenta a produção de serotonina, ideal para o bom humor

O chocolate amargo com alto teor de cacau começa a ganhar adeptos. Ainda bem, pois é esse tipo que contém flavanoides e, portanto, o único a ter um bom impacto na saúde. Segundo pesquisa realizada na Universidade de Barcelona, na Espanha, essa substância presente no cacau teria um papel positivo no sistema imunológico de ratos. "Os flavanoides são antioxidantes que previnem o envelhecimento", diz a dermatologista Marcella Delcourt.

Pesquisas demonstram ainda que o chocolate meio amargo não contribui para a elevação do colesterol, já que os polifenóis (substâncias antioxidantes) encontrados na guloseima impedem a oxidação do LDL, o tipo ruim da gordura. O chocolate também mantém o humor em alta. E várias substâncias contidas nesse alimento contribuem para isso. Os carboidratos aumentam a formação da serotonina, substância que dá sensação de bem-estar.

"Devemos lembrar que, mesmo o chocolate apresentando quantidades benéficas de flavonoides, contém quantidades de gorduras saturadas que não permitem o seu consumo em grande quantidade e freqüência, devendo ser ingerido com moderação", diz a nutricionista Eliana Pereira Vellozo.


» Carne vermelha


As carnes estão geralmente associadas a obesidade, colesterol elevado e até mesmo câncer, mas não há razão para fugir da carne vermelha: os especialistas garantem que todos podem comer o seu bife sem culpa. Segundo a nutricionista Eliana Pereira Vellozo, a carne bovina é uma excelente fonte de proteína, fornece todos os aminoácidos que necessitamos, inclusive os não produzidos pelo nosso organismo. É uma das principais fontes de ferro, zinco, vitamina B12, selênio e fósforo. E, ainda, boa fonte de niacina, vitamina B6 e riboflavina, nutrientes indispensáveis para um crescimento saudável. "Vale a pena mencionar que o ferro é fundamental para as nossas células de defesa, portanto sua carência está associada ao aumento de infecções e também à anemia", diz.

A freqüência de consumo e o tipo de carne bovina definem o bem e o mal. O conselho da profissional é ingerir uma porção ao dia, três vezes por semana. "Nos outros dias devemos variar com carne branca, aves ou peixes", diz. Opte sempre por cortes magros, com menor teor de gordura, como patinho, maminha, músculo, lagarto, filé mignon, coxão duro e coxão mole. Atenção aos cortes mais gordos: acém, alcatra, contrafilé de costela, cupim, picanha, fraldinha e costela. "Esses cortes são ricos em gorduras saturadas e colesterol, propiciando o aumento de doenças cardiovasculares. Portanto, deve-se evitar seu consumo ou consumir em ocasiões esporádicas e de forma moderada."

 


» Café

 

Estudos correlacionam o consumo da cafeína ao aumento do estado de alerta, à diminuição da fadiga e à melhora do estado de espírito. São citadas a estimulação do sistema nervoso central e cardiovascular, o aumento da taxa metabólica, o efeito diurético e a capacidade antioxidante. O consumo diário e moderado de café não deve exceder três a quatro xícaras por dia.

Mas o café vai muito além da cafeína. Segundo o médico Darcy Roberto Lima, coordenador científico do Programa Café e Saúde, há outras substâncias em maior quantidade que podem até ser mais importantes do que a cafeína para o organismo. Segundo ele, o café não é remédio, mas a comunidade médico-científica já considera a planta como funcional, ou seja, previne doenças mantendo a saúde. O grão do café possui potássio, zinco, ferro, magnésio e outros minerais, embora em pequenas quantidades, além de aminoácidos, proteínas, lipídeos, açúcares e polissacarídeos. "Mas o principal segredo é a presença de uma enorme quantidade de polifenóis antioxidantes", diz.

A dermatologista Marcella Delcourt menciona ainda que os grãos de café, quando colhidos ainda verdes e tratados para uso cosmético, têm excelentes propriedades antioxidantes, hidratantes (ácidos linolênico, oleico e palmítico) e de antienvelhecimento (ômega 6). Possui ainda flavonoides que ajudam a impermeabilizar a membrana da pele contra os raios UV e também ajudam no tratamento de lesões causadas por exposição excessiva ao sol por seu efeito anti-inflamatório.
 


» Ociosidade


É o título do livro do sociólogo italiano Domenico De Masi, que demonstra sua insatisfação com o modelo centrado na idolatria do trabalho. Assim, o processo produtivo pode passar por outras esferas, como o lazer, a convivência e a internet. Permitir que a mente vague, sem necessariamente pelo caminho do trabalho, pode trazer elementos novos ao trabalho. Muitos publicitários ou escritores, por exemplo, dizem que suas melhores ideias surgem quando não estão tentando pensar no trabalho em si.

A internet pode ter um papel fundamental nisso atualmente, segundo a psicóloga Luciana Ruffo, do Núcleo de Pesquisa da Psicologia em Informática da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). "Antes, quando não se tinha nada para fazer, ia para frente da TV. Hoje vai para o computador." Para ela, a internet propicia uma imensidão de dados e fontes de inspiração, sejam elas importantes ou não. "São outras formas de olhar o mundo."
 


» Videogame


Ok, você deve estar pensando que não existem benefícios numa atividade tão alienante. Engano. "O videogame desenvolve algumas habilidades do ser humano, como noção de espaço e atividade motora", diz a psicóloga Luciana Ruffo. Para ilustrar, ela cita uma pesquisa com médicos que executam a laparoscopia, um tipo de cirurgia guiada por microcâmeras: os profissionais pesquisados que jogavam videogame tinham mais habilidade.

E com a entrada do Wii no mercado, esquentar a poltrona já faz parte do passado. Esse tipo de videogame propõe jogos em que as pessoas atuam, o que favorece a atividade física, perda de calorias e, claro, maior interatividade entre os jogadores. Os especialistas recomendam no máximo duas horas seguidas de jogo. Depois desse tempo é preciso parar para relaxar corpo, mente e olhos. "Além disso, é necessário oferecer outras atividades a crianças e adolescentes: possibilidade de sair com os amigos, conviver com os pais e praticar atividade física."
 

 

» Sobrecarga de informações


Hoje é comum ver um jovem trabalhando na frente do computador com seu iPod no ouvido e várias janelinhas piscando do seu MSN. Enfim, ele faz mil coisas ao mesmo tempo. Enquanto uns dizem que a sobrecarga de informações é maléfica, há pessoas que enxergam seus aspectos positivos. Um deles seria o estímulo a produzir um tipo de sensação de "estar no jogo, pertencer ao mundo moderno".

A psicóloga Luciana Ruffo destaca a praticidade: "É uma forma de resolver problemas de forma breve, sem a necessidade fazer uma ligação telefônica. Muitas empresas usam essa ferramenta para o dia a dia." Mas ela frisa que isso geralmente funciona mais em atividades que não requerem tanta atenção, já que parar o que está fazendo para abrir a janela do MSN e responder tira a atenção do foco do trabalho.

(Fonte: Terra - Vida e Saúde)

 

 

Ver mais SAÚDE

Para abrir em nova janela, mantendo esta página aberta, pressione SHIFT ao clicar no link.

- -

BUSCA
Google

PROCURE NA CAIXA ABAIXO